Curitiba aperta fiscalização em faixas exclusivas de ônibus contra desrespeito de motoristas de carros e de aplicativo

Publicado em: 23 de novembro de 2019

Código de Trânsito Brasileiro prevê multa de R$ 293,47 por invasão da faixa exclusiva. Foto: Pedro Ribas/SMCS

Em quase duas semanas foram mais de 2,5 mil infrações flagradas por agentes da prefeitura

ALEXANDRE PELEGI

O desrespeito de motoristas de carros de passeio e de aplicativo às faixas destinadas ao transporte coletivo por ônibus está sendo combatido com rigor em Curitiba, no Paraná.

Cidade marcada pelo exemplo do BRT, que promoveu uma reorganização no espaço urbano e produziu uma melhor convivência entre as pessoas sem privilégio ao carro, Curitiba quer preservar o respeito à prioridade ao uso dos ônibus.

Nos últimos dias agentes de trânsito intensificaram a fiscalização nas faixas exclusivas, o que produziu, em pouco mais de duas semanas, mais de 2,5 mil infrações flagradas nas sete ruas que contam com o sistema de prioridade ao ônibus. Nestes locais, a sinalização é específica para utilização do transporte coletivo.

Rosangela Battistella, superintendente de Trânsito do município, esclarece que a medida foi tomada após reclamações recebidas pela Superintendência (Setran) sobre o uso indevido desse espaço por motoristas de carros. “A administração municipal tem trabalhado de diversas formas para melhorar a qualidade do transporte coletivo. São novos ônibus, tarifa diferenciada e, também, as faixas exclusivas para diminuir o tempo de deslocamento do usuário de ônibus”, afirma Battistella.

A superintendente ressalta que o cidadão precisa fazer a sua parte. “Mais pessoas utilizando o ônibus pode reduzir congestionamentos. Mas é preciso seguir a legislação de trânsito, sob pena de multa”, afirma Rosângela.

A última faixa exclusiva para o transporte coletivo, na Rua Alfredo Bufren, no Centro da capital paranaense, passou a operar em 28 de março de 2019. Antes dela, já foram lançadas as faixas nas Ruas XV de Novembro, Marechal Deodoro, Conselheiro Laurindo, Desembargador Westphalen, General Mário Tourinho e André de Barros.

DESRESPEITO TEM CRESCIDO

Segundo a Setran, o desrespeito tem se repetido. Com o aumento no trabalho de fiscalização, no início do mês, foram 2.520 autos de infração emitidos a motoristas trafegando de forma irregular na faixa exclusiva para ônibus.

A campeã de abusos cometidos pelos condutores é justamente a faixa mais recente: a Alfredo Bufren e sua continuação, pela Amintas de Barros. A via responde por 27% do total das infrações: 680 registros.

A faixa da Conselheiro Laurindo vem na sequência. Foram 510 autos de infração: 20% do total. Na sequência estão Rua XV de Novembro (434), André de Barros (355), General Mario Tourinho (293), Desembargador Westphalen (134) e Marechal Deodoro (114).

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), a multa por invadir a faixa exclusiva é de R$ 293,47 e corresponde a uma infração de natureza gravíssima.

O CTB estipula sanção de sete pontos na carteira de habilitação, conforme inciso III do artigo 184: “transitar com o veículo na faixa ou via de trânsito exclusivo, regulamentada com circulação destinada aos veículos de transporte público coletivo de passageiros, salvo casos de força maior e com autorização do poder público competente”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta