CPTM transporta número expressivo de passageiros em fim de semana com feriado e Fórmula 1

Publicado em: 18 de novembro de 2019

Refugiados e imigrantes atenderam aos turistas que foram de trem ao GP de Fórmula 1. (Foto: reprodução vídeo da CPTM)

Estação Autódromo recebeu quase três vezes mais passageiros. Linha 9-Esmeralda carregou cerca de 40 mil pessoas entre sexta-feira e domingo

ALEXANDRE PELEGI

Em um fim de semana prolongado devido ao Feriado da Proclamação da República, comemorado na sexta-feira, 15 de novembro de 2019, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) precisou mobilizar suas equipes de operação para atender aos torcedores que se deslocaram para os eventos do Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, realizado no domingo, 17.

Além da prova, muitos torcedores foram aos treinos livres na sexta-feira, 15, e aos treinos oficiais no sábado, 16.

Comunicado da CPTM afirma que ontem, dia do GP, até as 18h foram registradas 13.531 entradas, número mais de duas vezes superior à média de domingo, que é 5 mil pessoas.

No sábado (16), o número foi maior ainda: 15.244 entradas, mais de três vezes a média para este dia da semana, que é a mesma do domingo. Na sexta-feira, dia da Proclamação da República, foram 10.219 entradas. A média para feriados gira em torno de 4 mil pessoas”, informa o comunicado.

Além do aumento significativo na circulação do sistema de trens, a Companhia comemora o fato de não ter registrado ocorrências relevantes, “com a operação transcorrendo sem problemas para os passageiros”.

IMIGRANTES ATUARAM NO ATENDIMENTO AOS TURISTAS

Uma novidade na operação do sistema de trens para a edição do GP Brasil deste ano foi a presença de cerca de 100 refugiados e imigrantes de 34 diferentes países que atuaram no atendimento aos turistas que participariam da prova de automobilismo. “Estas pessoas, bilingues e até poliglotas, estiveram em toda a Linha 9 e em estações estratégicas como Luz e Aeroporto-Guarulhos entre os dias 15 e 17”, informa a CPTM.

A ação faz parte do projeto da Companhia chamado “Em SP habita o mundo”, cujo objetivo é acolher e dar visibilidade para essas pessoas, e foi desenvolvida em parceria com a Secretaria Estadual da Justiça e Cidadania e com a Secretaria Municipal de Turismo. Além disso, o projeto recebeu apoio do Fundo de Solidariedade de São Paulo e de empresas privadas que ajudaram financeiramente a atividade realizada na CPTM.

No comunicado registrando os resultados da operação, Pedro Moro, presidente da CPTM, relatou que o trabalho da CPTM para o GP Brasil de F1 “ajudou a tornar a ida para o Autódromo de Interlagos mais rápida e com menos transtornos. Além disso, estamos muito satisfeitos com o trabalho e a dedicação dos 100 imigrantes e refugiados. Foi uma honra para nós poder ajudar e dar visibilidade a estas pessoas”.

A Estação Autódromo, que fica a 600 metros do portão de acesso ao Setor G do Autódromo de Interlagos, foi inaugurada em 17 de outubro de 2007.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta