Dois novos trens da Linha 13-Jade da CPTM desembarcam no Porto de Santos neste sábado

Publicado em: 8 de novembro de 2019

Novas composições de fabricação chinesa atenderão a ligação entre a capital e o aeroporto de Guarulhos

JESSICA MARQUES

Neste sábado, 09 de novembro de 2019, mais dois trens de fabricação chinesa, de um lote adquirido pelo Governo do Estado de São Paulo, desembarcam no Porto de Santos, no Litoral Paulista.

As composições formarão a frota da Linha 13-Jade, que liga a capital ao Aeroporto de Guarulhos. O primeiro trem chegou em setembro e está em fase de testes na CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

A chegada das composições foi divulgada pela CPTM, por meio de nota. Os trens são compostos por oito carros de passageiros, que serão transportados em carretas para a Oficina de Presidente Altino, onde passarão por os testes nos sistemas elétricos, mecânicos e de sinalização.

“Os principais diferenciais dessa frota, chamada 2500, são o bagageiro para malas pequenas localizado acima dos assentos e o espaço específico para malas grandes. Esses itens vão garantir conforto na viagem até o Aeroporto Internacional de Guarulhos. Atualmente, circulam na Linha 13-Jade trens novos do mesmo padrão das demais linhas da CPTM”, informou a Companhia, em nota.

“O primeiro trem está respondendo bem a todos os testes e a previsão é que até o fim deste ano entre em operação comercial”, disse o presidente da CPTM, Pedro Moro, também em nota.

LOTE

O consórcio Temoinsa-Sifang venceu a licitação internacional com a apresentação da melhor proposta no valor de R$ 316,7 milhões para a fabricação dos oito trens. A aquisição dessa frota está sendo financiada com recursos do Banco Europeu de Investimento (BEI), que disponibilizou € 85 milhões para o Governo do Estado de São Paulo.

A exemplo das frotas das outras seis linhas da CPTM, os trens chineses têm 170 metros de comprimento, salão contínuo de passageiros (passagem livre entre os carros), monitoramento com câmeras na parte externa e interna, além de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida ou deficiência.

As composições também dispõem de monitores digitais internos com informações sobre a prestação de serviços e reconhecimento eletrônico automático do maquinista por meio de biometria.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

  1. Trens iguais aos fabricados aqui, seriam eles mais baratos, até? se der problema tem chinês para consertar, ou eles mandarem técnicos para ensinar aqui aos da CPTM?

  2. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite

    E o desperdício do dinheiro do contribuinte continua firme e forte, trem novo pra linha 13 Jade, a NATIMORTA.

    Eu gostaria de saber, porque os trens não sobrem a serra sobre os trilhos ou pelo menos vem pelos trilhos desde Paranapiacaba?

    Outro dia eu vi no rodoanel um carro em cada carreta sendo levados para o páteo de Presidente Altino, fiquei estarrecido.

    Se alguém puder responder eu agradeço.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta