Polícia alemã cassa carteira de motorista de centenas de pessoas que pilotaram patinetes após ingerirem álcool em Oktoberfest de Munique

Publicado em: 4 de novembro de 2019

Polícia alemã é rigorosa na aplicação da lei. Foto: DPA/PA Images

Na Alemanha, o slogan “se beber, não dirija” se aplica não só a carros, mas também às e-scooter que hoje infestam muitas cidades de todo o mundo

ALEXANDRE PELEGI

As patinetes elétricas foram legalizadas na Alemanha em junho de 2019 e classificadas como veículos motorizados. Isso significa, na prática, que são aplicadas a elas as mesmas leis que valem para quem dirige carros e outros veículos de maior porte.

Logo, o que vale para os “grandes”, vale também para os “pequenos”, sem exceção.

O slogan “se beber, não dirija”, da mesma forma que se aplica a carros e veículos de maior parte, se aplica, portanto, também aos pequenos equipamentos que hoje infestam a maioria das cidades mundo afora: as patinetes elétricas, também chamas de scooters.

Na Alemanha, bastou algumas centenas de pessoas usaram patinetes no festival de cerveja Oktoberfest em Munique, turbinadas com algumas doses da bebida, para que a polícia alemã determinasse a cassação de suas carteiras de motorista após serem acusadas ​​de… crimes.

Aproximadamente 6,3 milhões de pessoas participaram da Oktoberfest 2019, que foi de 21 de setembro a 6 de outubro deste ano. Dessa verdadeira multidão, 414 pessoas foram flagradas usando e-scooters sob a influência de álcool. Segundo a polícia alemã, 254 delas perderam sua licença com base nas leis de trânsito do país.

Durante o período de 16 dias que durou o festival, 360 pessoas foram flagradas dirigindo carros após ingerirem algumas cervejas, sendo que 214 tiveram suas licenças revogadas, números menores quando comparados aos adeptos das patinetes elétricas. O uso indevido das scooters causou 21 acidentes durante os dias de festival, 13 dos quais envolviam álcool.

Além do uso indevido do equipamento, o aplicativo das e-scooter bem que tentou impedir que os participantes da Oktoberfest de Munique saíssem da festa levando as patinetes. Mesmo assim, muitas delas foram abandonadas na cidade a cada noite.

As autoridades alemãs estão buscando encontrar a melhor solução para os problemas que as patinetes elétricas estão apresentando.

As scooters eletrônicas lotam Munique e outras cidades alemãs desde que chegaram no início deste ano. Como no Brasil, as pessoas usam aplicativos para o uso. Lá o custo é de apenas 1 euro para desbloquear o veículo, seguido de 20 centavos por minuto a partir de então.

Na Alemanha, elas tem velocidade limitada a 12 mph (20 km/h), e só podem circular em ciclovias.

A carteira de motorista não é obrigatória, mas os mesmos limites legais para o álcool se aplicam e, portanto, quem transgredir pode perder sua carteira de automóvel.

Informações da rede de notícias CNN  dão conta de que os Centros de Controle e Prevenção de Doenças investigaram acidentes e lesões relacionados a scooters eletrônicas após um aumento de incidentes em Austin, Texas (EUA). Segundo os Centros, um em cada três usuários recebeu ferimentos na primeira vez que usou o equipamento. Aproximadamente 63% haviam usado patinetes nove vezes ou menos antes da lesão, sugerindo que a educação e o treinamento são potencialmente necessários.

As autoridades alemãs enfatizam a necessidade de regulamentar ainda mais o mundo das patinetes elétricas, para garantir a segurança dos usuários e do público.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. E depois muitos acham que isso é só em SP…Vejam na ilustração, que até ela não usa capacete,,,é meus amigos, até nos países mais desenvolvidos ha erros comuns como o nosso. Só não vai ter mesmo guardas suficientes para tal serviço

  2. NÃO Vai DAR CERTO… NÃO VAI DAR CERTO !!!! A CULTURA DO BRASILEIRO É INFRINGIR AS LEIS,,A CADA MODA QUE APARECE HÁ SEMPRE VITIMAS FATAIS…

Deixe uma resposta