Novo trajeto da linha 7 até o Brás passa nos testes e se torna fixo em dias úteis

Publicado em: 1 de novembro de 2019

Trem da Linha 7-Rubi. Foto: Adamo Bazani.

Segundo a CPTM, 70 mil passageiros por dia foram beneficiados com a medida

JESSICA MARQUES

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) informou, por meio de nota, que o novo trajeto da Linha 7-Rubi até o Brás passou nos testes e se tornará fixo nos dias úteis a partir de segunda-feira, 04 de novembro de 2019.

Com a mudança, todos os trens seguirão até a Estação Brás nos dias úteis. Segundo a CPTM, o resultado dos testes realizados nesta semana foi positivo e mostrou que a ampliação da linha beneficia diretamente cerca de 70 mil passageiros por dia.

“A viagem até o centro da capital ficou mais rápida com o novo trajeto devido à diminuição do número de transferências nas estações Palmeiras-Barra Funda e Luz que, além de reduzir o tempo de viagem, melhorou o fluxo de passageiros nessas estações”, informou a CPTM, em nota.

Outra vantagem da mudança destacada pela companhia é que permitiu a redução do intervalo entre os trens no trecho de maior demanda da Linha 7-Rubi.

Agora, segundo a CPTM, nos dias úteis, os trens circulam a cada seis minutos de Francisco Morato a Brás nos horários de pico. Antes, os trens operavam com intervalos de 8 minutos de Francisco Morato a Caieiras, e 6 minutos de Caieiras a Luz, nos horários de pico.

O presidente da CPTM, Pedro Moro, anunciou o período de testes em primeira mão a portais de mobilidade, entre os quais, o Diário do Transporte, na última sexta-feira.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/10/25/linha-7-rubi-passa-a-ir-ate-o-bras-a-partir-de-segunda-28/

O embarque e desembarque para os passageiros provenientes da Linha 7 está sendo feito pela plataforma 2, na Estação Brás. Em caso de dúvidas, o passageiro pode procurar um agente de estação ou ligar na Central de Atendimento da CPTM no número 0800 055 0121.

“Com a mudança, a Linha 7 que já é maior em extensão, passa a operar uma extensão de 62,7 quilômetros (antes, era 60,5 km), e o número de estações sobe de 18 para 19. Os trens circulam de Jundiaí a Francisco Morato, trecho de menor demanda, e de Francisco Morato a Brás, nos dias úteis. Lembrando que nos finais de semana e feriados a circulação ocorre de Francisco Morato a Luz”, informou também a CPTM, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Jonathan disse:

    Eu acho incrível a habilidade que o atual governo (que na verdade é um desgoverno) tem de celebrar como novidade a utilização daquilo que já existia.
    Precisamos de mais investimentos, e o mais rápido possível, em novas estações, trens e infraestrutura, e não de demagogia e maquiagens que somente ludibriam o cidadão.

    1. Meu caro antes eram 600 mil, e havia a necessidade de mudanças, pesquisas, estudos, e agora é que com CPTM, aos poucos vai voltando à normalidade, mas com diferencial. Hoje são mais de 3 milhões de passageiros, diferente dos anos 90 que era de 600 mil. É assim que se realiza as coisas, com planejamento,,,

  2. Rodrigo Zika! disse:

    Nada mais que obrigação.

  3. Graças à criação da CPTM houve essa realização, que na verdade era parte, prolongamento com a Turquesa. Ou seja voltou, do tempo em que eu, sim EU, comecei a brigar para que houvesse as mudanças, as reformas e acabsr com tanta mazela da extinta(em SP) da CBTU capenga…Parabéns

Deixe uma resposta