Terminal Pq. Dom Pedro ll, na capital paulista, terá testagem rápida de HIV nesta quinta-feira

Iniciativa não interfere na operação das linhas no terminal. Foto: Sidnei Santos / SPTrans.

Ação será realizada das 11h às 16h

JESSICA MARQUES

A SPTrans, em parceria com o Programa Municipal de DST/AIDS e a SPUrbanuss (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo) e a Socicam, realizará nesta quinta-feira, 24 de outubro, das 11 às 16h, testagens rápidas de HIV, vírus da imunodeficiência humana que ataca o sistema imunológico, no Terminal Parque Dom Pedro ll, na capital paulista.

O Mutirão de Teste Rápido de HIV já passou pelos Terminais Bandeira e Vila Nova Cachoeirinha. Nas duas ações do Mutirão de Teste Rápido de HIV, realizadas em agosto e setembro, foram aplicados mais de 140 testes e até dezembro, mês em que se celebra o Dia Mundial de Luta contra a Aids, mais dois terminais urbanos serão pontos de orientação e testagem do vírus.

Além das testagens realizadas pelos profissionais, serão distribuídos autotestes de HIV, um kit que o usuário pode levar para realizar o teste onde quiser. Preservativos e informativos sobre prevenção com doenças sexualmente transmissíveis também serão entregues aos passageiros.

Em nota, a SPTrans informou que a iniciativa não interfere na operação das linhas no terminal.

“O apoio a essa iniciativa reforça o compromisso da SPTrans em incentivar o uso dos terminais, não apenas como acesso aos meios de transporte, mas como forma de melhorar a vida do cidadão, promovendo atividades de saúde, educativas e culturais”, informou a SPTrans, em nota.

CASOS

Dados recentes da Secretaria Municipal da Saúde mostram que, em 2017, a cidade de São Paulo registrou 3.334 novos casos de HIV, uma queda de quase 3% em relação ao ano anterior. Desse número, mais da metade das notificações foi em jovens entre 15 e 29 anos.

De acordo com o relatório divulgado, em julho deste ano, pela Organização das Nações Unidas (ONU), o número de mortes relacionadas ao vírus da AIDS diminuiu 33% nos últimos oito anos. No entanto, em alguns países, incluindo o Brasil, cresceu o número de novos casos de infecção por HIV.
O Dia Mundial de Luta Contra Aids é celebrado no Brasil há mais de 30 anos, no entanto, somente em 2017 a campanha Dezembro Vermelho entrou para calendário oficial brasileiro, e é quando concentram as iniciativas, ações e atividades educativas de prevenção ao HIV/AIDS, de acordo com as diretrizes do Sistema Único de Saúde.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta