São José dos Campos abre nesta quarta (16) propostas para auditoria nos contratos das empresas de ônibus

Publicado em: 15 de outubro de 2019

Foram classificadas a Deloitte Touche Tohmatsu Consultores Ltda e Maciel Consultores S/S Ltda

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São José dos Campos, no interior paulista, marcou para esta quarta-feira, 16 de outubro de 2019, a abertura dos envelopes da licitação que pretende contratar uma auditoria independente nos contratos do município com as empresas de ônibus e verificar se os dados de custos e de quantidade de passageiros informados pelas três viações que operam na cidade são reais ou se há alguma distorção.

Como mostrou o Diário do Transporte, após polêmicas sobre a disputa, que levaram a prefeitura a suspender a licitação e alterar o edital da concorrência.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/10/13/conselho-aprova-relatorio-de-auditoria-que-avaliou-servico-de-transporte-coletivo-de-sao-jose-dos-campos/

Foram classificadas as empresas Deloitte Touche Tohmatsu Consultores Ltda e Maciel Consultores S/S Ltda.

Nova concessão

Após mais de 10 anos de concessão, os contratos com as três empresas que operam atualmente o sistema de transporte de São José dos Campos caminham para a fase final.

A publicação do edital de licitação para a nova concorrência do transporte público está prevista para ainda para este segundo semestre de 2019.

São José dos Campos, maior cidade do Vale do Paraíba, em São Paulo, tem atualmente um sistema de transporte público coletivo operado por três empresas – CS Brasil, Expresso Maringá e Saens Peña.

Sistema atual

Empresas que operam na cidade:

CS Brasil

Expresso Maringá

Saens Peña

Linhas: 103

Frota: 388 ônibus

Total de passageiros transportados em 2018: 7.033.998

Passageiros pagantes transportados em 2018: 3.748.225

Nas 103 linhas do atual sistema de transporte de São José dos Campos, a Saens Peña opera em 33 linhas, a Julio Simões em outras 33 e a Expresso Maringá em 37.

Além do transporte coletivo comum, São José possui também regulamentação do transporte alternativo, que opera por meio de 78 permissões distribuídas em 16 linhas que concorrem diretamente com o transporte convencional por ônibus.

A bilhetagem eletrônica possui integração gratuita ao utilizar no máximo quatro ônibus no período de duas horas seguintes ao instante da primeira validação do bilhete.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta