Três empresas brasileiras de transporte participam do Busworld 2019, na Bélgica

No evento, Marcopolo é destaque como parceira global em soluções de transporte

JESSICA MARQUES

Neste ano, três empresas brasileiras de transporte participam do Busworld 2019, realizada em Bruxelas, na Bélgica, de 18 a 23 de outubro. No evento, a Marcopolo, fabricante brasileira de carrocerias de ônibus, é destaque como parceira global em soluções de transporte.

A Braslux, fabricante de peças e lanternas, também participa desta edição do evento, assim como a Sinalsul, que desenvolve sistemas de iluminação, peças plásticas e lanternas para implementos rodoviários, agrícolas, caminhões, ônibus e máquinas.

O evento Busworld teve início em 1971, em Kortrijk, na Bélgica, até 2017. Este é o primeiro ano em que o evento está sendo organizado em Bruxelas, para celebrar a 25ª edição.

Na 24ª realização do Busworld, foram 376 expositores de 33 países, que reuniram mais de 37 mil visitantes de 118 nações. O objetivo do evento é, segundo a organização, reunir empresas de mobilidade para discutir o transporte de passageiros sob diversos aspectos, como segurança, conforto, sustentabilidade e indústria.

A Marcopolo, que participa neste ano, é a única encarroçadora brasileira que estará presente no Busworld. Com 70 anos de atividades, completados em agosto passado, a fabricante brasileira já produziu mais de 430 mil veículos e atua há quase 60 no mercado internacional. No ano passado, sua produção global consolidada aumentou 29,8% – 23.627 unidades, contra 18.202 unidades no ano anterior.

“O foco da empresa é ser o parceiro ideal na oferta de soluções em mobilidade que possam ser aplicadas nos diversos mercados mundiais, que demandam diferentes tecnologias, desde a 100% elétrica por baterias, até a diesel Euro 6 (como possui no Chile), passando pela híbrida, gás natural e elétrica com alimentação de rede externa”, informou a Marcopolo, em nota.

Nas fábricas brasileiras da Marcopolo foram produzidas em 2018, 13.958 unidades contra 8.633, em 2017, com crescimento de 61,7%. Parte desse volume de produção das unidades brasileiras foi exportada para cerca de 100 países de diferentes continentes: 3.938 unidades contra 3.271, em 2017, com crescimento de 20,4%.

“Na Busworld Europe 2019, a Marcopolo destaca a força do seu footprint global. Com operações em nove países de quatro continentes, a empresa intensificou, ao longo dos últimos anos, sua atuação em alguns dos principais mercados mundiais, como Ásia, África, Américas e Oceania. Essa presença global permite oferecer um portfólio diversificado de produtos, com modelos de ônibus para diferentes mercados de atuação, desenvolvidos para atender as características de transporte e mobilidade de cada localidade”, informou a Marcopolo, também em nota.

MARCOPOLO NO MUNDO

Atualmente, a Marcopolo informou que emprega mais de 18 mil pessoas em todo o mundo. No Brasil, são perto de 12 mil colaboradores e capacidade para produzir 20 mil unidades por ano, em quatro plantas em três diferentes estados, duas em Caxias do Sul, no Estado do Rio Grande do Sul, uma no Rio de Janeiro e outra na cidade de São Mateus, no estado do Espírito Santo.

A empresa produz desde miniônibus com PBT de 5 toneladas até ônibus biarticulados, com 27 metros de comprimento e capacidade para 270 pessoas. As fábricas brasileiras também são responsáveis pelo fornecimento de carrocerias para clientes em todo o mundo, com destaque para as regiões da América Latina, África e Oriente Médio. Por ano, são quase 4 mil unidades exportadas.

Na América do Sul, a empresa tem operações na Colômbia, na Grande Bogotá, com a Superpolo, joint-venture com o Grupo Fanalca, e na Argentina, com a fábrica da Metalsur, na Província de Santa Fé.

Na Colômbia, a renovação de frota do sistema BRT Transmilenio fez a demanda crescer e, neste ano, a produção foi de 754 unidade no primeiro semestre, com elevação de 26,9% em relação ao primeiro semestre de 2018. Na Argentina a produção foi de pouco mais de 1.000 unidades em 2018.

Outro importante mercado para a Marcopolo é o México. Com operação local, desde 2000, por intermédio da Polomex, joint-venture com a Daimler, a empresa prevê crescer 30% este ano e atingir a produção de 1,4 mil unidades. Na fábrica de Monterrey, são produzidos veículos pequenos, ônibus urbanos convencionais e rodoviários de curto, médio e longo alcance. No primeiro semestre deste ano foram fabricadas 750 unidades, com crescimento de 90,8%.

Na Austrália, a Marcopolo é dona da Volgren, marca líder da fabricação de ônibus completos para atendimento do mercado da Oceania. Sediada em Melbourne, Austrália, a Volgren produziu 542 unidades em 2018 (403 unidades em 2017).

Recentemente, a empresa assinou o maior acordo de fornecimento de sua história com a Autoridade de Transporte Público (PTA) da Austrália Ocidental, operadora estatal de transportes do governo, para fornecer 416 ônibus em cinco anos. O negócio está alinhado com a estratégia de expandir suas atividades em todo o mundo e o maior já firmado para a região da Ásia-Pacífico.

Na América do Norte, a Marcopolo está presente por intermédio de participação acionária de 10,5% na NFI Group Inc., principal fabricante de ônibus urbanos e rodoviários nos Estados Unidos e Canadá. Sediada em Winnipeg, Canadá, a companhia é líder em tecnologia e oferece a mais ampla linha de produtos, incluindo veículos movidos a diesel limpo, gás natural, híbrido diesel-eletricidade e elétrico.

Na China, a Marcopolo está presente desde 2001. Inicialmente, por intermédio de um contrato de transferência de tecnologia para produção local de carrocerias de ônibus e, desde 2005, com a abertura de um escritório para desenvolvimento de novos fornecedores e global sourcing e a produção de peças, componentes e carrocerias de ônibus desmontadas, bem como de produção de ônibus em PKD para a exportação para diferentes países da Ásia e região do Pacífico.

No continente africano, a companhia atua desde 1999, e possui fábrica em Johanesburgo, na África do Sul. A operação teve grande participação no fornecimento de veículos durante a Copa do Mundo de Futebol, em 2010, e continua atendendo toda a região sul e central da África. Em 2018, a unidade produziu 344 unidades, redução de 2,8% em relação à produção de 2017 (354 unidades).

A Marcopolo também possui escritórios comerciais em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e em Kuala Lumpur, na Malásia, para ampliar as oportunidades de negócios, além de participação de 20% na GB Polo, fabricante de ônibus urbanos e rodoviários no Egito.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Claudio disse:

    Marcopolo no mundo, com unidades fabris pulverizadas em uma dezena de países.
    É um feito impressionante. No entanto no mercado financeiro o resultado para os acionistas não refletem essa pujança.
    A evolução desde o início dessa estratégia de internacionalização não é satisfatória.
    Valor da POMO hoje R$ 3,30 é já esteve em R$12,00 fazem alguns anos.
    Talvez devessem redesenhar essa estratégia de internacionalização.

  2. MARCO ANTONIO GOLDANI disse:

    Senti falta da citação ou comentários sôbre a participação desta empresa na India , grande mercado de onibus .

  3. Oswaldo disse:

    E na Europa, durou pouco a unidade de Portugal…

Deixe uma resposta