Linhas municipais de Campinas recebem cinco ônibus estilizados para o “Outubro Rosa”

Outubro Rosa
Veículos foram estacionados de uma maneira que formaram o laço símbolo da campanha. Foto: SetCamp.

Veículos são das concessionárias Expresso Campibus, Itajaí, Onicamp, VB1 e VB3 e vão circular em todo este mês em alusão à campanha mundial de prevenção e combate ao “câncer de mama”

ADAMO BAZANI

Diversas empresas de ônibus em todo o País aderiram à campanha mundial de prevenção e combate ao câncer de mama, no “Outubro Rosa”, estilizando os veículos com decorações mais simples, reproduzindo o laço rosa (símbolo das ações) ou mesmo adesivando os ônibus inteiros.

Em Campinas, no interior de São Paulo, cinco ônibus foram estilizados em alusão à campanha. As empresas são Expresso Campibus, Itajaí, Onicamp, VB1 e VB3

São cinco ônibus, sendo três articulados, um padron e um convencional, que vão circular durante todo o mês na cidade.

A padronização visual do sistema da cidade foi mantido, mas as cores de cada lote operacional foram trocadas por rosa.

A ação tem a participação conjunta entre a Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas (SetCamp), a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec).

A Transurc coloriu ainda o site www.transurc.com.br  no tom rosa, divulga  a campanha na sua página de Facebook e distribuiu laços rosa para toda a equipe de funcionários, que foram convidados a usar o adereço no uniforme durante este mês.

Em nota, o diretor de Comunicação e Marketing da Transurc, Paulo Barddal, diz que a ampla visibilidade dos ônibus vai ser uma aliada para a divulgação da campanha.

“Os ônibus e nossos canais de comunicação têm visibilidade para uma grande parcela da população. Então, ao apoiar a causa, esperamos contribuir para que cada vez mais mulheres façam a prevenção ao câncer de mama”

Veja algumas imagens:

Na nota, as empresas de ônibus ainda trazem informações sobre o câncer de mama.

O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres em todo o mundo, depois do de pele não melanoma. O câncer de mama responde, atualmente, por cerca de 28% dos casos novos de câncer em mulheres.

De acordo com o Ministério da Saúde, a doença é relativamente rara antes dos 35 anos, mas, acima dessa idade, sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), anualmente no Brasil surgem em média 57 mil novos casos de câncer de mama.

Não há uma causa única, mas diversos fatores estão relacionados à doença. Ser mulher e envelhecer são os principais fatores que aumentam o risco. Além desses, há fatores importantes, como obesidade, principalmente após a menopausa, sedentarismo, sobrepeso, consumo de bebida alcoólica e exposição frequente a radiações ionizantes (raios X).

Entre os fatores hormonais, são situações importantes a primeira menstruação antes de 12 anos, o fato de não ter tido filhos, primeira gravidez após os 30 anos, não ter amamentado, parar de menstruar após os 55 anos e ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos. Mulheres com histórico familiar da doença também devem ficar atentas.

 

Prevenção

Amamentação, prática de atividade física e alimentação saudável com a manutenção do peso corporal são fatores de proteção e estão associados a um menor risco de desenvolver o câncer de mama.

Quanto mais cedo a doença for diagnosticada, maiores são as chances de sucesso no tratamento. O autoexame das mamas pode ser feito mensalmente, preferencialmente no mesmo dia do mês. No entanto, ele não dispensa o acompanhamento médico, que poderá indicar a necessidade de exames como o ultrassom e a mamografia. Principalmente após os 40 anos ou antes disso para quem tem histórico familiar da doença, a mamografia anual é o exame mais indicado para a detecção da doença. Em Campinas, o Hospital do Amor, na Avenida das Amoreiras, realiza o exame gratuitamente para mulheres entre 40 e 69 anos.

 

Sobre o Outubro Rosa

O movimento surgiu em 1990, na primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, que desde então vem sendo promovida anualmente na cidade. O nome remete à cor rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, de empresas e entidades.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta