Com desoneração e fim de cobradores, tarifa de ônibus em Petrópolis poderia ser de R$ 2,92, dizem viações com simulador

Publicado em: 29 de setembro de 2019
Ônibus Petrópolis

Ônibus de empresa operadora de Petrópolis. Viações criaram simulador de tarifas.

Valor atual é de R$ 4,40

ADAMO BAZANI

A tarifa de ônibus em Petrópolis, na região metropolitana do Rio de Janeiro, poderia ser de R$ 2,92 em vez de R$ 4,40 com a desoneração do ISS – Imposto sobre Serviços (tributo municipal), fim da taxa de gerenciamento da CPTrans – Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (gerenciadora da prefeitura e com a reorganização das linhas por meio da troncalização do Alto da Serra, Manoel Torres e Araras. Além disso, as viações destacam o fim dos cobradores para a redução de custos.

Os dados são do Setranspetro – Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis que lançou há três meses um simulador de tarifas on line que mostra aos passageiros os principais itens que pesam no valor final pago pelo usuário para se deslocar de ônibus.

Somente com a desoneração do ISS, a tarifa poderia custar R$ 0,10 a menos.

O término da taxa de gerenciamento, medida adotada na planilha tarifária estabelecida pela CPTrans, em agosto, provocou uma redução de outros R$ 0,10 na tarifa técnica.

As companhias de ônibus alegam que com o fim da função de cobrador nos ônibus seria possível reduzir em R$ 0,70 a tarifa. As companhias argumentam que mais de 70% das transações do sistema são feitas por meio da bilhetagem eletrônica.

O sindicato das viações fez uma enquete com passageiros que acessaram o simulador.  Em três meses, forma 2.671 acessos, dos quais, 501 pessoas optaram pelo envio da simulação para a “pesquisa”, segundo as empresas.

Bandeiras levantadas pelos empresários de ônibus tiveram aprovação destas 501 pessoas na enquete que as próprias viações fizeram, com respostas realizadas depois de os internautas acessarem o simulador.

Segundo os resultados do levantamento, divulgados em nota do Setranspetro, 78,8% das pessoas são favoráveis ao fim do ISS sobre as passagens, 82,4% aprovam o fim da taxa de gerenciamento e 77,2% sugeriram que o município realizasse o pagamento parcial ou integral da tarifa dos alunos.

Alguns resultados são curiosos porque fogem da posição habitual dos passageiros em diversos sistemas do País, como a defesa do fim da integração totalmente gratuita em troca de redução no valor da tarifa e a retirada dos cobradores, como mostra parte da nota.

Com relação à tarifa parcial na passagem integrada, quando existe a troca de ônibus de um bairro ou região por outro bairro ou região de forma eletrônica com o uso dos cartões de bilhetagem, benefício atualmente utilizado por apenas 11% dos passageiros do transporte em Petrópolis, 65,5% dos internautas optaram pela cobrança de uma segunda tarifa parcial, que poderia ser entre R$ 1 e R$ 2. (…)

Por fim, considerando o Programa de Qualificação dos profissionais do setor de transporte e a automação dos meios de arrecadação das passagens, que atualmente, em Petrópolis atinge mais de 70% das transações do sistema, 51,9% das pessoas optaram pelo fim da função de cobrador nos ônibus do município, o que acarretaria em um impacto de aproximadamente R$ 0,70 no valor final da passagem.

Quanto o fim do segundo embarque sem nenhuma cobrança, o resultado de 65,5% abordado na nota é uma soma de diferentes cenários. Isoladamente, a manutenção do segundo embarque gratuito continua sendo defendida pela maioria: 34,53 %

Resultados do Simulador de Tarifas

Conheça o resultado da pesquisa realizada pelo Setranspetro e as empresas de ônibus de Petrópolis, entre os dias 25 de junho e 25 de setembro, sobre o cálculo da passagem e detalhes de alguns componentes que mais impactam para o valor final. Durante esse período, os internautas testaram o barateamento da tarifa de ônibus.

Respostas Total %
1 – Uma parte do valor da tarifa é destinada exclusivamente para o pagamento do Imposto Sobre o Serviço prestado pelas empresas, o ISS. Confira abaixo o impacto desse valor:
A – Sem o ISS. 395
78.84 %
B – Com o ISS. 106
21.16 %
2 – A taxa de gerenciamento é um valor cobrado pela CPTrans para gerir o sistema de transporte coletivo e também tem um peso no cálculo da tarifa:
A – Sem a Taxa de Gerenciamento. 413
82.44 %
B – Com a Taxa de Gerenciamento. 88
17.56 %
3 – Tarifa parcial na passagem integrada. São consideradas integrações as viagens que são realizadas quando existe a troca de ônibus de um bairro ou região por outro bairro ou região de forma eletrônica com o uso dos cartões de bilhetagem, sem que os clientes paguem pela segunda passagem. Atualmente, 11% dos passageiros do Sistema de Transporte se beneficiam do Sistema de Integração, enquanto os outros 89% dos passageiros sequer o utilizam. A passagem de ônibus poderia ser mais barata para todos, caso os 11% dos passageiros que utilizam a integração pagassem uma pequena parcela no valor da segunda tarifa integrada. Simule abaixo algumas possibilidades:
A – Com a cobrança de R$ 2,00 no valor da segunda tarifa da integração. 134
26.75 %
B – Com a cobrança de R$ 1,50 no valor da segunda tarifa da integração. 62
12.38 %
C – Com a cobrança de R$ 1,00 na segunda passagem da integração. 132
26.35 %
D – Sem qualquer cobrança de valor na segunda passagem, como é atualmente. 173
34.53 %
4 – Estão sendo discutidos entre Setranspetro, CPTrans e Prefeitura Municipal de Petrópolis, uma série de projetos de engenharia de transporte para melhoria da Mobilidade Urbana e priorização do transporte coletivo, inclusive com a criação de corredores exclusivos para o transporte coletivo, promovendo viagens mais rápidas e eficientes para os clientes dos ônibus. Simule abaixo, como poderia ficar o valor da tarifa com a implantação do sistema de otimização das linhas, considerando a implantação da troncalização do Alto da Serra, Manoel Torres e Araras.
A – Com a implantação da troncalização nas Regiões do Alto da Serra, Manoel Torres e Araras. 403
80.44 %
B – Sem a implantação da troncalização nas Regiões do Alto da Serra, Manoel Torres e Araras, como é atualmente. 98
19.56 %
5 – Considerando o Programa de Qualificação dos profissionais do setor de transporte e a automação dos meios de arrecadação das passagens, que atualmente, em Petrópolis atinge mais de 70% das transações do sistema, simule abaixo os impactos com a função de cobrador na tarifa:
A – Com o fim da função de cobrador. 260
51.90 %
B – Com a função de cobrador existindo nos ônibus como é atualmente, excluindo apenas os ônibus executivos, padrão rodoviário e micro-ônibus. 241
48.10 %
6 – Caso a prefeitura investisse recursos para arcar com as passagens dos estudantes da rede municipal de ensino, como forma de subsídio público, a tarifa de ônibus poderia ser mais baixa. Atualmente, as gratuidades desses alunos correspondem a 280 mil passagens por mês. Simule abaixo como ficaria o valor da tarifa:
A – Com o pagamento integral da tarifa por passagem dos estudantes da rede municipal. 173
34.53 %
B – Com o pagamento da metade do valor da tarifa por passagem dos estudantes da rede municipal. 81
16.17 %
C – Com o pagamento de R$ 1,00 (um real) por passagem dos estudantes da rede municipal. 131
26.15 %
D – Sem o pagamento de qualquer subsídio. 116
23.15 %
Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Marcos disse:

    O curioso que muitas cidades do Brasil toncalizou as linhas 0,10…..retirou cobradores 0,70…. Porem nao reduziram a tarifa ao contrario aumentou…..ou seja o objetivo dos empresarios somente aumentar os lucros….desde quando nasci nunca vi nada abaixar o preco….estamos no Brasil terra sem lei onde empresarios gananciosos ficam ricos em.cima.da.miseria do povo e ainda tem gente que tem coragem de dizer que trabalharam muito para enriquecer…..toda minha vida trabalhei acordo 5 da manha e chego as 20 horas em casa…cada ano que passa fico mais pobre….pois o preco de tudo aumenta e o salario nao acompanha!!!….pronto falei tudo!!!

Deixe uma resposta