Greve afeta linhas intermunicipais entre São Roque, Alumínio, Mairinque e Ibiúna

Publicado em: 21 de setembro de 2019

Foto: Flávio Henrique Cesar

Funcionários da Viação São Roque iniciaram paralisação neste sábado, 21

ALEXANDRE PELEGI

Funcionários da Viação São Roque cruzaram os braços neste sábado, 21 de setembro de 2019, afetando as linhas intermunicipais entre São Roque, Alumínio, Mairinque e Ibiúna, Região Metropolitana de Sorocaba, gerenciadas pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo.

Os 88 trabalhadores da Viação entraram em estado de greve na última terça-feira, 17, cumprindo o prazo de 72 horas determinado pela lei de greve em serviço essencial.

O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região informa que a empresa tem atrasado com frequência o pagamento de salário, tíquete-refeição e cesta básica. A decisão da categoria é só voltar ao trabalho quando a empresa pagar todos os atrasados.

Outros benefícios como pagamento de férias e participação nos lucros e resultados (PLR), além do não recolhimento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), têm caracterizado o descumprimento do acordo coletivo de trabalho.

Os grevistas reclamam ainda da inadimplência no parcelamento das verbas rescisórias devidas aos rodoviários que atuavam no transporte urbano de São Roque. Esses trabalhadores foram demitidos quando a Viação São Roque transferiu a concessão pública do transporte urbano municipal à Mirage Transportes.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Flávio Alberto Fernandes disse:

    Alô EMTU até quando iremos aguentar essa VSR ?

  2. Renato Vieira dos Santos disse:

    É outra que logo fechará as portas!

  3. Rinaldo Sena disse:

    Eu sugiro que a prefeitura desses municípios faça transporte alternativo dentro da lei pois semelhante a isso está acontecendo o transporte clandestino de Vaz e até mesmo micro ônibus vindo de outras cidades ao mesmo tempo que a população Deixa de ser amparada por aquilo que ela paga ela é obrigada a pegar esse tipo de transporte porque ela está refém de contratos fraudulentos

  4. Renato Vieira dos Santos disse:

    O grupo Vida poderia assumir as suas operações. A Piracicabana, nao!

Deixe uma resposta para Rinaldo Sena Cancelar resposta