Anunciada para outubro, liberação do viaduto Pompeia deve facilitar transporte coletivo na Grande Curitiba

Publicado em: 21 de setembro de 2019

Viaduto já está pronto, faltando alças de acesso. Foto: Lucilia Guimarães/SMCS – Prefeitura de Curitiba

Quatro linhas de Fazenda Rio Grande e diversas municipais de Curitiba devem ser beneficiadas. Local é gargalo da BR 116. Viaduto está pronto há quatro anos, mas não pode receber veículos porque alças de acesso não foram concluídas

ADAMO BAZANI

A liberação do Viaduto Pompéia, na região Sul de Curitiba, deve também beneficiar os passageiros dos transportes coletivos municipais e metropolitanos.

A mais recente promessa do prefeito Rafael Greca é de conclusão das alças de acesso no mês de outubro.

O viaduto, que fica no bairro do Tatuquara, na capital paranaense, passa sobre a BR 116 e está pronto desde setembro de 2015. A construção era de responsabilidade da Autopista Planalto Sul/Arteris , concessionária da rodovia, mas as alças de acesso necessárias deveriam ter sido concluídas pela prefeitura.

O local é um dos gargalos da rodovia afetando motoristas de carros particulares e passageiros do transporte público.

Com a melhoria do trânsito na região após o final das obras, entre as linhas metropolitanas que devem ser beneficiadas estão F01-Fazenda Rio Grande/Pinheirinho, F02-Curitiba/Fazenda Rio Grande, F03-Fazenda Direto e F 05- Fazenda Rio Grande/CIC, operadas pela Leblon Transporte, e as linhas Quitandinha/Pinheirinho, Areia Branca/Curitiba e Mandirituba/Curitiba prestadas pela Reunidas.

Entre as linhas municipais, devem ter melhor fluidez os ônibus que a partir do semáforo da região seguem para bairros como Pompéia, Tatuquara, Rio Bonito, Jardim da Ordem e Cachimba, da empresa Redentor.

“Toda intervenção viária é muito bem-vinda pelo transporte coletivo. Atualmente, o maior fator de atrasos é o trânsito. Os ônibus precisam de fluidez para cumprir os horários da melhor”- explicou o coordenador de tráfego da Leblon Transporte, Nabor de Anunciação.

Por meio de nota, a prefeitura de Curitiba informou que além das alças de acesso, estão sendo concluídas outras intervenções no entorno.

A rua que desemboca no viaduto foi alargada, ficando com nove metros de caixa, com duas pistas para o tráfego e mais uma para o estacionamento. Ela irá compor o binário da Vila Pompeia e também será asfaltada, sinalizada e terá calçadas novas, melhorias na iluminação e paisagismo.

A Francisco Xavier de Oliveira será a saída do Tatuquara para a BR-116. A entrada será pela Rua João Batista Bettega Junior. Entre as duas ruas, outros binários acessórios funcionarão como complemento às alças do viaduto.

Além da Francisco Xavier de Oliveira, estão sendo feitas obras em trechos das ruas José Zanoncini e Francisca Ferreira da Luz, no entorno do Colégio Estadual Beatriz Faria Ansay; na ligação da Francisco Xavier de Oliveira com a BR-116, no sentido sul; e na alça de acesso que permitirá o retorno da Francisco Xavier de Oliveira para a Rua Francisco Warcheski, em direção ao bairro.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta