Estudo prevê implantação de aeroporto no ABC Paulista

Publicado em: 19 de setembro de 2019

Segundo professor, aeroportos Congonhas e Guarulhos já atingiram limite de demanda. Foto: Divulgação.

Projeto foi entregue por professor da USCS ao Consórcio ABC

JESSICA MARQUES

Um estudo prevê a implantação de um aeroporto no ABC Paulista. O Consórcio Intermunicipal Grande ABC recebeu nesta semana o gestor e professor do curso de Ciências Aeronáuticas da USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul), que apresentou um projeto elaborado pela instituição sobre a implantação da estrutura na região.

O estudo da USCS mapeou áreas passíveis de receber o aeroporto. O espaço apontado com maior perfil para implantação do equipamento é um terreno em São Bernardo do Campo, nas proximidades da rodovia dos Imigrantes.

“A Região Metropolitana de Londres, na Europa, tem aproximadamente 14 milhões de pessoas e seis aeroportos. Na Grande São Paulo, temos quase o dobro de população e apenas duas estações aeroportuárias. A nossa ideia é colocar o Grande ABC na rota da indústria da aviação”, explicou o professor universitário.

Gouveia foi recebido pelo secretário-executivo da entidade regional, Edgard Brandão, que tem experiência no setor por ter ocupado o cargo de superintendente da Regional do Sudeste da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) entre 2006 e 2007.

Na reunião, o professor da USCS apresentou as potencialidades do projeto e o ganho que o equipamento pode trazer para o Grande ABC. Segundo o estudo, um aeroporto pode injetar R$ 1,8 bilhão ao ano na economia da região.

“Os aeroportos da Grande São Paulo, Congonhas e Guarulhos, inegavelmente já atingiram limite de demanda. Fundamentamos isso com dados. Ter um no Grande ABC absorveria essa movimentação excedente prevista para o futuro. Além disso, seria um grande vetor para o desenvolvimento econômico da região. Por esses e outros fatores, não é nenhuma insanidade pensarmos em um projeto do tipo”, argumentou Gouveia.

PRÓXIMOS PASSOS

Durante o encontro sobre a possível implantação do aeroporto na região, ficou definido que será realizado um seminário, previsto para ocorrer na segunda quinzena de outubro, com diversos agentes que possam ser beneficiados, tanto do setor público quanto do privado.

“Começamos uma conversa preliminar e essa é a próxima etapa agora. A ideia é reunir secretários municipais, empresários, associações comerciais, universidades, sindicatos, entre outros atores do setor produtivo da região para discutir a viabilidade desse projeto. Depois de termos um entendimento maior e um debate mais consolidado, levaremos todas as informações para apresentação na Assembleia Geral dos Prefeitos”, explicou Brandão.

BRT e Metrô

Para a região, a maior obra de mobilidade prevista para os próximos anos é o BRT (Bus Rapid Transit – Ônibus de Trânsito Rápido). Conforme noticiado pelo Diário do Transporte, as obras começam no primeiro semestre de 2020.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/09/12/entrevistas-brt-do-abc-nao-tera-interferencia-do-transito-diz-baldy-obras-comecam-no-1o-semestre-de-2020/

Para a região, o Governo do Estado também prometeu a Linha 20-Rosa do Metrô de São Paulo. O traçado terá início no bairro Rudge Ramos, em São Bernardo do Campo, com destino à Lapa na Zona Oeste de São Paulo. A promessa do Governo do Estado é que a linha fique pronta em quatro anos.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/07/03/joao-doria-anuncia-linha-18-bronze-do-abc/

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

  1. ademir disse:

    nunca vai acontecer

  2. Debora Helena disse:

    Sensacional. Já disse em outra oportunidade que poderíamos ter um ramal de BRT/METRÔ saindo do Terminal Tereza Suster no Riacho Grande e indo até Sacomã. Basta querer.

  3. Marcio disse:

    Deveria ser estudado a implantação de um Aeroporto em Ribeirão Pires com o intuito de movimentar a região.
    O local tem acesso pelo Rodoanel.
    Mas o maior benefício seria a preservação do meio ambiente local, visto que por legislação a ser criada, proibiria o desmatamento ao entorno do aeroporto em raio de 20 km.

    1. Carlos A. disse:

      E quem vai impedir a favelização que futuramente deverá ocupar o entorno desse aeroporto? A lei? Além do mais, uma extensa área de mata deverá ser derrubada para dar lugar ao concreto. É uma área perdida para sempre. Já temos poucas matas e esses ” especialistas” querem tirar mais. Nem com as queimadas na amazônia essa gente não aprende? Lamentável.

  4. Hanz Haraltz Frentzen disse:

    Apenas um sonho e nada mais.

  5. HENRIQUE FARAH FERNANDES disse:

    Aeroporto no ABC? condições climáticas péssimas para aviação, metrô esse papo vai longe igual ao metrô em Guarulhos 25 anos de bla bla blá…mas quem sabe

  6. Daniel Trindade disse:

    Como isso poderia acontecer??? Ninguém se lembre que 60% da aérea do abc paulista é de proteção ambiental????

  7. Henrique disse:

    Na ,chácara baronesa em Santo André, também dá um enorme aeroporto ,faz divisa com são Bernardo do campo.”Baeta Neves”.

Deixe uma resposta