Reconhecimento facial em cartão com gratuidade começa a valer nas linhas intermunicipais da Baixada Santista e VLT

Publicado em: 3 de setembro de 2019
VLT Baixada

O objetivo do sistema, segundo a EMTU, é a verificação do uso de cartões com gratuidade. Foto: Divulgação / EMTU.

Segundo a EMTU, Cartão BR Card é pessoal e intransferível

JESSICA MARQUES

Começa a funcionar nesta quarta-feira, 04 de setembro de 2019, o reconhecimento biométrico facial no sistema intermunicipal de ônibus da Baixada Santista e no VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos). A informação foi divulgada pela gerenciadora EMTU/SP (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos).

O objetivo do sistema, segundo a EMTU, é a verificação do uso de cartões com gratuidade. Os testes dos equipamentos tiveram início em abril deste ano.

Ainda de acordo com a EMTU, com a implantação, a Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) faz uso de uma ferramenta tecnológica dos sistemas de arrecadação e bilhetagem eletrônica para melhorar a gestão e promover uma política de benefícios mais justa.

“A melhoria da gestão e dos serviços públicos passa hoje obrigatoriamente por inovações tecnológicas. Esse sistema de reconhecimento facial vai permitir um controle mais adequado da gratuidade de tarifas nos ônibus metropolitanos e no VLT”, afirmou o Secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, em nota.

A imagem do beneficiário da gratuidade no cartão é comparada à imagem do passageiro capturada no momento em que ele passa pelo validador/catraca. O sistema faz a comparação eletrônica das imagens por meio de algoritmo de reconhecimento facial, confronta as imagens e afere a probabilidade de semelhança, identificando as utilizações indevidas que caracterizam fraudes.

Os equipamentos para captura dos dados faciais dos passageiros já foram instalados nos 523 ônibus da frota metropolitana e em catracas instaladas nas estações do trecho Barreiros-Porto do VLT, conforme informado pela EMTU.

CARTÕES BR CARD

Os 111 mil cartões BR Card ativos com direito a benefícios estão distribuídos nas modalidades Passe Livre e Meia Tarifa (estudantes), Sênior 65+ e Sênior 60-64 (idosos) e Passageiro Especial (pessoas com deficiência).

“O cartão é de uso pessoal e intransferível e, se for constatada a utilização irregular, poderá haver bloqueio, suspensão temporária por um período de 6 a 12 meses e até cancelamento. Em alguns casos específicos previstos na legislação, pessoas com deficiência têm direito a um acompanhante durante a viagem”, informou a EMTU, em nota.

O procedimento para a obtenção da gratuidade por meio do BR Card não sofrerá qualquer alteração por parte da EMTU/SP e da concessionária BR Mobilidade. Informações podem ser obtidas no site www.emtu.sp.gov.br na aba “Bilhetes e Cartões”.

REGULAMENTAÇÃO

A utilização do sistema de reconhecimento biométrico facial pelas operadoras das linhas intermunicipais nas cinco regiões metropolitanas do Estado foi autorizada pela STM por meio da resolução nº 32, de 29 de março deste ano.

A Baixada Santista, segundo a EMTU, é a primeira em que o sistema está totalmente implantado. As próximas regiões serão a Grande São Paulo, no Corredor Metropolitano ABD, e o Vale do Paraíba/Litoral Norte.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta