Prefeitura de Santa Maria (RS) seleciona empresa para elaboração do Plano Diretor de Transporte Coletivo Urbano do município

Foto: Wilson Dezanet Gabert (Clique para ampliar)

Três empresas haviam se candidatado, mas consultoria de Porto Alegre foi a selecionada pelo critério melhor técnica e preço. Prazo para recurso é de 5 dias a partir de hoje

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, definiu a empresa vencedora da concorrência para a elaboração do Plano Diretor do município. A tomada de preço foi realizada no dia 14 de agosto de 2019.

Segundo informações da Prefeitura, das três empresas interessadas a vencedora foi a Procidades – Consultoria em Planejamento Urbano Sociedade Simples, sediada em Porto Alegre.

A contratação, pelo regime de execução indireta, do tipo “melhor técnica e preço”, será por empreitada por preço global, com fornecimento de material e mão de obra.

O contrato refere-se “à execução de serviços técnicos especializados na área de Mobilidade Urbana para a elaboração do Plano Diretor de Transporte Coletivo Urbano de Santa Maria-RS”.

A Procidades foi classificada em 1º lugar com o valor global de R$ 275.469,60.

A empresa Edson Marchioro Arquitetura Urbanismo e Engenharia S/S, de Caxias do Sul, foi classificada em 2º lugar, seguida pela empresa Matricial Engenharia Consultiva, de Porto Alegre.

A partir de hoje abre-se o prazo para recurso de 05 dias úteis.

santa_maria_vencedora

LICITAÇÃO

Como noticiou o Diário do Transporte, a Prefeitura de Santa Maria apresentou em julho deste ano a licitação para contratar serviços especializados de mobilidade urbana. Conforme o edital, uma vez assinada a ordem de serviço do Plano Diretor de Transporte Coletivo, o prazo é de até 180 dias para a conclusão do estudo. Relembre: Licitação do transporte coletivo de Santa Maria (RS) recebe três propostas para elaboração de Plano Diretor

O material contempla, além do edital para a concessão, a descrição dos pontos de paradas, frota, sistemas de tecnologia, qualidade dos serviços e ampliação da oferta do transporte, entre outros.

Outra exigência prevista é a discussão social. Para isso, serão realizadas reuniões e audiências públicas com diferentes segmentos da sociedade local.

A elaboração da licitação resultou em um Grupo de Trabalho, coordenado pelo chefe da Casa Civil, Guilherme Cortez, para o acompanhamento do processo.

O grupo foi formado em abril deste ano e deverá elaborar um trabalho conclusivo para embasar o processo para a concessão de transporte coletivo urbano.

Nossa intenção é que se faça no menor prazo possível, respeitando os prazos legais e buscando entregar um novo modelo de transporte coletivo urbano que funcione e seja mais eficiente em benefício do cidadão”, afirmou, em nota, o chefe da Casa Civil, Guilherme Cortez.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta