Prefeitura de Cuiabá estima que faixas exclusivas de ônibus reduziram tempo de viagem em até 30%

Foto: prefeitura Cuiabá/MT

São 14 km de faixas, implantadas em 2017. Prefeitura estuda ampliar a medida para mais 3 avenidas da cidade

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Cuiabá divulgou nesta quinta-feira, 15 de agosto de 2019, que as faixas exclusivas para ônibus, implantadas em 2017, garantiram agilidade ao transporte coletivo do município, reduzindo em até 30% o tempo de viagem de parte dos mais de 240 mil usuários do transporte coletivo da capital mato-grossense.

São 14 km de faixas distribuídos entre as Avenidas Historiador Rubens de Mendonça (do CPA), Tenente Coronel Duarte (Prainha), Getúlio Vargas e Isaac Póvas.

De acordo com o secretário de Mobilidade Urbana, Antenor Figueiredo, foi possível manter o número de viagens com redução de até 15% da frota, graças a agilidade nas viagens. Com isso, é possível remanejar veículos conforme as demandas das linhas.

É uma ação com balanço extremamente positivo. O percurso do Terminal do CPA I até o Porto, que demorava de 45 minutos a uma hora, hoje é feito em 30 minutos”, diz Antenor.

O resultado positivo estimulou a prefeitura a ampliar a ideia. A secretaria de Mobilidade Urbana estuda a viabilidade de implantação nas avenidas João Gomes Sobrinho, Trabalhadores e Fernando Correa. “Nestes pontos a implantação ainda é avaliada pelos nossos setores de Trânsito e Transporte. Acreditamos que já há uma nova cultura em relação aos corredores, por isso a implantação em novos pontos seria mais tranquila do que foi em 2017”, comenta o gestor.

Na época da implantação das faixas a prefeitura realizou uma ostensiva campanha de conscientização. As autuações aos motoristas infratores, que invadiam o espaço dos coletivos, só passaram a ser aplicadas em 2018.

Transitar na faixa ou via exclusiva regulamentada é infração gravíssima, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). O infrator está sujeito a multa de R$ 293 e perda de sete pontos na CNH.

Nicolau Budib, diretor de Transporte da Semob, lembra que o monitoramento é feito por meio de câmeras e também pela presença local dos agentes de trânsito. “Vale lembra que, além dos coletivos, também podem transitar pelas faixas exclusivas, a qualquer momento do dia, táxis com passageiros e veículos de emergência, como viaturas e ambulâncias”, finaliza.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta