Licitação do transporte coletivo de Santa Maria (RS) recebe três propostas para elaboração de Plano Diretor

Escolha da empresa responsável pela operação ainda não tem prazo definido. Foto: Divulgação / Prefeitura de Santa Maria.

Duas empresas interessadas são de Porto Alegre e uma, de Caxias do Sul

JESSICA MARQUES

A licitação do transporte coletivo urbano local de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, recebeu três propostas nesta semana para a elaboração do Plano Diretor. Segundo informações da Prefeitura, duas empresas interessadas são de Porto Alegre e uma, de Caxias do Sul.

Nesta quarta-feira, 14 de agosto de 2019, foi realizada a tomada de preço para contratar empresa que realizará serviços técnicos especializados na área de mobilidade urbana para a elaboração do Plano Diretor de Transporte Coletivo Urbano de Santa Maria.

“A partir de agora, uma comissão especial vai analisar as propostas técnicas e financeiras de cada uma das empresas. Para esta etapa, não há prazo. Após este julgamento é que sairá uma empresa vencedora”, informou a Prefeitura, em nota.

Em julho deste ano, a Prefeitura apresentou a licitação para contratar serviços especializados de mobilidade urbana. Conforme o edital, uma vez assinada a ordem de serviço do Plano Diretor de Transporte Coletivo, o prazo é de até 180 dias para a conclusão de estudo.

Este material contempla, além do edital para a concessão, descrição dos pontos de paradas, frota, sistemas de tecnologia, qualidade dos serviços e ampliação da oferta do transporte, entre outros.

Outra exigência prevista é a discussão social. Para isso, serão realizadas reuniões e audiências públicas com diferentes segmentos da sociedade local.

A elaboração da licitação resultou em um Grupo de Trabalho, coordenado pelo chefe da Casa Civil, Guilherme Cortez, para o acompanhamento do processo.

O grupo foi formado em abril deste ano e deverá elaborar um trabalho conclusivo para embasar o processo para a concessão de transporte coletivo urbano.

“Nossa intenção é que se faça no menor prazo possível, respeitando os prazos legais e buscando entregar um novo modelo de transporte coletivo urbano que funcione e seja mais eficiente em benefício do cidadão”, afirmou, em nota, o chefe da Casa Civil, Guilherme Cortez.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta