Demanda de metrôs e trens no Brasil cresce 21% e chega a 3,7 bilhões de passageiros em 2018

Em 2018, foram criadas duas linhas para o sistema em todo o país, a Linha 13-Jade e o VLT de Fortaleza. Foto: Adamo Bazani.

Apesar do aumento, malha ainda é pequena para a necessidade das cidades e teve crescimento de apenas 3,9%, segundo a ANPTrilhos

JESSICA MARQUES

O setor metroferroviário brasileiro transportou 3,7 bilhões de passageiros em 2018. Os dados foram divulgados por meio de um levantamento da ANPTrilhos (Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos).

De acordo com o levantamento da associação, o número de passageiros transportados no ano passado representa um aumento de 21% comparado ao ano de 2017.

No último ano, a média de passageiros transportados por dia em todo o sistema metroferroviário do país foi de 10,9 milhões de passageiros. Destes, 51% são homens e 49% são mulheres.

O principal motivo das viagens realizadas por meio dos trilhos no Brasil é trabalho, responsável por 70% dos embarques. A segunda principal razão para o uso de sistemas de trem e metrô no país é lazer, com 20% dos usos.

Estudo motiva o uso do sistema metroferroviário para 5% dos passageiros no país, mesmo percentual para motivos de saúde. Outras razões são responsáveis por 10% das viagens.

MALHA BRASILEIRA CRESCE APENAS 3,9%

Apesar do crescimento expressivo observado no número de passageiros que utilizam trilhos, a malha brasileira cresceu apenas 3,9% no ano passado, ganhando 41 quilômetros, resultando em 1.105 quilômetros de extensão em todo o sistema.

O crescimento mais expressivo foi no estado de São Paulo, mas os estados da Bahia e Ceará também passaram por expansão na malha metroferroviária.

Confira:

ANPTrilhos

Fonte: ANPTrilhosÉ o

O balanço da ANPTrilhos identificou que existem no Brasil 48 linhas de transporte metroferroviário, sendo duas criadas em 2018, a Linha 13-Jade na capital paulista e o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) de Fortaleza, no Ceará.

Ao todo, são 613 estações, sendo 30 inauguradas em 2018, tanto das linhas novas quanto de trajetos já existentes.

FROTA AUMENTA 1,7%

O aumento da frota do sistema metroferroviário no Brasil foi ainda menor no último ano, sendo de apenas 1,7%. Ao todo, no país, existem 5.444 carros de passageiros em operação, de acordo com a ANPTrilhos.

Em 2017, 95% dos carros de passageiros possuíam ar-condicionado. No ano passado, o percentual passou para 97,8%, um aumento de 3%.

Cada trem circula em média 200 mil quilômetros por ano, o que representa cinco voltas no planeta Terra.

CONTRATAÇÕES AUMENTAM 2,5%

De 2017 para 2018, o número de contratações de funcionários no transporte metroferroviário brasileiro aumentou 2,5%. Ao todo, existem 41 mil funcionários na área, sendo 33,1 mil próprios e 7,9 mil terceirizados.

Os homens representam 76% dos funcionários no setor, enquanto as mulheres ocupam apenas 24% dos cargos disponibilizados para a área.

Em 2019, porém, as contratações foram reduzidas, enquanto as demissões aumentaram. É o que mostram dados da CNT (Confederação Nacional do Transporte), com base no Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), da Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia.

O transporte metroferroviário apresentou uma queda de 516 empregados, o que significa que a soma entre contratações e demissões apresentou resultado negativo e o setor terminou com funcionários a menos.

Confira os dados, na íntegra, por setor e categoria, conforme divulgado pela CNT: Setor de transporte cria 16,0 mil empregos formais no primeiro trimestre de 2019

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. 30% é da RMSP, e é vero que com a onda de extinção do auxiliar do condutor, háverá esse déficit. A CPTM pretende aumentar numero de seguranças nas estações, contribuindo para aumentar contratação, em vista do numero de incursores ilegais nos trens, como também se posicionar no auxilio dos passageiros em embarque e desembarque com informçaõa de rotas e localidades.

Deixe uma resposta