Por unanimidade, Justiça decide que carteiros têm direito a passe livre no transporte coletivo, quando em serviço

Metropasse entrou com recurso para negar gratuidade aos profissionais. Foto meramente ilustrativa.

Decisão do TRF-1 foi para região do Município de Lauro de Freitas, na Bahia

JESSICA MARQUES

Uma decisão unânime da Justiça reforçou o direito de carteiros, distribuidores de correspondência postal e telegráfica ao passe livre no transporte coletivo. A gratuidade, segundo o entendimento do magistrado, é válida quando o funcionário está em serviço.

O caso julgado ocorreu na Bahia. A 6ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), por unanimidade, manteve a sentença, do Juízo da 14ª Vara da Seção Judiciária da Bahia, que julgou procedente o pedido da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) para assegurar o direito ao acesso gratuito dos carteiros, quando em serviço, aos veículos das empresas concessionárias responsáveis pelo transporte público da região do Município de Lauro de Freitas, mediante apresentação da carteira funcional ao cobrador ou motorista.

Ao analisar o recurso interposto pela Associação Baiana de Transportes Metropolitanos (Metropasse), o relator, desembargador federal Daniel Paes Ribeiro, destacou que é legítimo o direito dos carteiros e mensageiros da ECT, quando na execução do serviço de distribuição de correspondência, ao passe livre a ser concedido pelas empresas concessionárias de transporte coletivo urbano.

Segundo o magistrado, o passe livre dos funcionários da ECT foi instituído pelo art. 9º e parágrafo único, do Decreto-lei n.º 3.326/1941.

“A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, na qualidade de detentora do monopólio dos serviços postais e telegráficos, em todo o território nacional, sempre gozou, mercê do dispositivo de lei federal a respeito vigente, da gratuidade dos transportes coletivos para seus servidores (carteiros), incumbidos da entrega de correspondência, quando em serviço”, ressaltou o desembargador federal.

Desta forma, o Colegiado, nos termos do voto do relator, negou provimento ao recurso de apelação e à remessa oficial. Ou seja, a alegação da Metropasse para negar o passe livre aos carteiros não foi aceita e os profissionais continuam com o direito de utilizar o transporte coletivo sem pagar a passagem, enquanto estiverem em serviço.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

1 comentário em Por unanimidade, Justiça decide que carteiros têm direito a passe livre no transporte coletivo, quando em serviço

  1. Outra turma na corda bamba do desemprego,,,,já que Jair quer privatizá-la

Deixe uma resposta