Alagoinhas reajusta tarifa do transporte coletivo e autoriza taxistas a atuarem enquanto durar greve de rodoviários

Publicado em: 1 de agosto de 2019

Foto: Xavier Transportes atua na cidade ao lado de outras duas empresas, ATP e Cidade Alagoinhas. Foto: Alexandre Almeida. (Clique para ampliar)

Após novo fracasso nas negociações, prefeitura age para garantir frota mínima nas ruas e concede aumento rejeitado pelas empresas

ALEXANDRE PELEGI

A greve dos rodoviários de Alagoinhas, Bahia, continua por conta do impasse nas negociações entre as empresas do transporte coletivo municipal e os rodoviários.

Na manhã desta quarta-feira, 31 de julho de 2019, a prefeitura promoveu novo encontro entre as partes visando suspender a paralisação, que já dura uma semana.

A reunião foi na sede da Superintendência de Transporte e Trânsito (SMTT), ocasião em que a administração municipal reiterou sua decisão de reajustar a tarifa do transporte público em 8%, o que elevará o valor dos atuais R$ 2,50 para R$ 2,70. As empresas haviam rejeitado o reajuste afirmando que ele não seria suficiente para atender às reivindicações dos trabalhadores de reajuste salarial.

Em contrapartida, a prefeitura deu prazo até às 16h para que empresários e trabalhadores entrassem em acordo e retomassem o serviço.

Sem resposta do setor patronal, a prefeitura decidiu publicar o decreto que regulamenta o reajuste da tarifa. Ao mesmo tempo, autorizou os taxistas da cidade a fazerem o transporte público pelo valor da tarifa atual até que o fim da greve. A medida visa garantir o atendimento à população uma vez que a frota mínima de 30%, prevista pela Lei de Greve, em ação ajuizada pelo governo municipal na véspera, está sendo descumprida.

O novo valor da tarifa passará a vigorar a partir do dia 04 de agosto, domingo.

decreto_alagoinhas.png

HISTÓRICO

São 83 ônibus sem circular na cidade, com a adesão ao movimento de mais de quatrocentos motoristas e cobradores que atuam em três empresas que operam o serviço no município, Xavier Transportes Urbanos, Viação Cidade Alagoinhas e ATP (Alagoinhas Transportes Públicos).

Desde sexta-feira, 26 de julho de 2019, rodoviários e representantes das empresas de ônibus não conseguem chegar a um acordo, mesmo após reuniões mediadas pela prefeitura, por meio da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT).

Como noticiou o Diário do Transporte, motoristas e cobradores passaram a semana anunciando que cruzariam os braços caso não recebessem respostas às suas reivindicações salariais. Marcada para ser deflagrada a partir de quinta-feira, 25, a greve foi transferida para o dia 26, quando começou efetivamente. Relembre: Rodoviários de Alagoinhas adiam greve de hoje para amanhã, 26

Os trabalhadores reivindicam 10% de reajuste salarial e aumento de 10% no tíquete alimentação, além do retorno do plano de saúde, suspenso há dois anos.

Antônio Menezes, superintendente Municipal de Transportes e Trânsito, adiantou que a prefeitura vai licitar o transporte público entre setembro e outubro, quando pretende corrigir uma série de distorções no atual sistema municipal.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta