Empresas de ônibus de Fortaleza registram 43 arrastões em coletivos no primeiro semestre de 2019

Publicado em: 15 de julho de 2019

O horário mais crítico apontado pelas empresas de ônibus em Fortaleza é entre 18h e 21h. Foto: Kaio Machado.

Maio foi o mês com o maior número de ocorrências, com 20 casos

JESSICA MARQUES

O Sindiônibus (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará) informou que foram registrados 43 casos de arrastões em ônibus de Fortaleza de janeiro a junho deste ano.

Segundo o sindicato, o mês de maio registrou o maior número de ocorrências, com 20 casos. O levantamento considera apenas casos em que o assalto foi contra os passageiros.

Contudo, ao considerar ocorrências contra os caixas dos ônibus, o sindicato registrou 302 casos. Apesar de ser um número alto, representa redução de 59% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 720 assaltos ocorreram.

O horário mais crítico apontado pelas empresas de ônibus em Fortaleza é entre 18h e 21h, quando as ocorrências têm maior registro.

Em nota, o gerente de operações do Sindiônibus, João Luís Maciel, informou que orienta aos passageiros que evitem expor objetos de valor dentro dos veículos, assim como optem pelo uso do cartão eletrônico no pagamento das passagens, diminuindo, assim, a quantidade de dinheiro dentro do coletivo.

Atualmente, 30% da frota de Fortaleza circula exclusivamente com pagamento de tarifas por meio de cartões eletrônicos, não aceitando mais dinheiro.

“Com essa frota, a tendência é que o número de assaltos diminua, já que não possui dinheiro certo no carro. Das 43 ocorrências contra passageiros, somente em dois casos os veículos eram de autoatendimento”, disse Maciel, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta