Em greve há 59 dias, metroviários do DF têm acordo coletivo prorrogado pela segunda vez

Publicado em: 29 de junho de 2019

Foto ilustrativa

Medida assegura benefícios à categoria até julgamento do dissídio

ALEXANDRE PELEGI

O Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT 10) prorrogou a vigência do acordo coletivo dos metroviários do Distrito Federal, em greve há 59 dias.

Esta é a segunda vez que a medida é adotada. Em 30 de maio, o Tribunal havia prorrogado por 30 dias os efeitos do acordo para evitar a perda de direitos trabalhistas em razão da greve.

Na prática, a prorrogação do acordo garante benefícios como auxílio-alimentação e plano de saúde para os metroviários. Isso vale até o julgamento do dissídio, sem data marcada para ocorrer.

Segundo o portal Metrópoles, a decisão foi publicada neste sábado, 29 de junho de 2019, pelo desembargador Brasilino Santos Ramos.

Sem data para o julgamento do dissídio, os desembargadores do trabalho aguardam que o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) emita parecer sobre a questão.

O diretor administrativo do Sindicato dos Metroviários (Sindmetro) afirmou ao Metrópoles que a expectativa é que em duas semanas ocorra uma definição. “Não existe mais qualquer negociação com o Metrô. As duas partes entraram com dissídio. Então, o destino da greve agora está nas mãos da Justiça”, explica.

Em greve desde 3 de maio, os metroviários do DF reivindicam reajuste salarial e cumprimento de decisões judiciais favoráveis aos funcionários desde 2015.

As negociações até aqui entre o Metrô-DF e os funcionários fracassaram.

Apesar da greve, 18 dos 24 trens têm de circular nos horários de pico segundo determinação judicial. No restante do dia, esse percentual cai para 30% da frota.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta