Depois de paralisações, ônibus em Guarulhos e Metrô de São Paulo funcionam normalmente neste sábado

Publicado em: 15 de junho de 2019

Ônibus Metropolitano em Guarulhos, a cidade mais atingida em dia de paralisação. Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte) – Clique para Ampliar

Sindicatos que descumpriram determinações de frota mínima devem ser multados. Diário do Transporte entrou em contato com empresas no início da manhã

ADAMO BAZANI

Os transportes coletivos na Grande São Paulo funcionam normalmente neste sábado, 15 de junho de 2019.

Na sexta-feira, 14, uma parcela dos serviços foi atingida por paralisações convocadas por centrais sindicais contra a reforma da previdência e medidas do governo Jair Bolsonaro.

A adesão, entretanto, foi menor do que os sindicatos haviam anunciado, afetando, na região metropolitana, os ônibus em Guarulhos e parte das operações do metrô na capital paulista.

No início da manhã deste sábado, a reportagem do Diário do Transporte entrou em contato com os plantões de garagens de Guarulhos, como da Viação Campos dos Ouros, Real Transportes Metropolitanos e Empresa de Ônibus Vila Galvão. Todas confirmaram que os ônibus estão nas ruas.

Na cidade, apenas as cooperativas de micro-ônibus operaram ontem integralmente, o que fez a prefeitura montar um esquema emergencial com estes serviços prolongando linhas.

No dia anterior à greve, o TRT determinou que ao menos 70% dos ônibus em Guarulhos e região estivessem em funcionamento nos horários de pico (das 5h às 10h e das 17h às 20h) e 50% nas demais horas, sob pena de multa por descumprimento de R$ 100 mil ao Sincoverg, que é o sindicato que representa os trabalhadores.

No Metrô de São Paulo, de acordo com os aplicativos oficiais da companhia, as operações também são normais neste sábado no tocante à escala de funcionários trabalhando. Ontem, parte dos empregados da companhia cruzou os braços e as operações ocorreram em trechos de linhas.  Somente o monotrilho da linha 15-prata parou.

As linhas de operação privada, 4-Amarela e 5-Lilás, funcionaram normalmente.

O TRT também determinou atendimento mínimo para o Metrô, de 80% nos horários de pico e 60% no restante do dia, sob pena de multa de R$ 200 mil ao Sindmetroviários por descumprimento.

Os ônibus municipais de São Paulo tiveram atrasos nas saídas das garagens, mas logo no início da manhã, a situação estava normalizada, com inclusive atendimento reforçado pelas empresas de ônibus da cidade onde não havia metrô.

Trens da CPTM, ônibus no ABC e demais regiões da Grande São Paulo não tiveram restrições na sexta-feira e também operam dentro do programado neste sábado.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta