Prefeitura de Cotia habilita duas empresas em licitação do transporte alternativo

Viação Raposo Tavares já atua em Cotia no serviço convencional de transporte. Foto: David Macedo Rocha

Coopertransbus e Viação Raposo Tavares seguem no certame, cuja concessão estipula  prazo de 10 anos e investimento inicial de R$ 5 milhões

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Cotia, município da Grande São Paulo, realizou no dia 23 de maio de 2019 Concorrência Pública, do tipo maior oferta, para o Transporte Coletivo Alternativo de Passageiros em regime de concessão, operado com veículos de pequeno porte.

No Diário Oficial desta sexta-feira, 31 de maio, a prefeitura divulgou o resultado da primeira etapa do certame, relativa ao julgamento da documentação.

Por unanimidade a Comissão Permanente de Licitações habilitou duas empresas: a COOPERTRANSBUS – Cooperativa de Serviços, Trabalho e Suporte ao Transporte e a Viação Raposo Tavares Ltda.

A partir de hoje, abre-se prazo de cinco dias úteis para interposição de recurso.

cotia_habilita

O serviço convencional não é abarcado por esta licitação.

Ficará a cargo da futura concessionária o Sistema de Bilhetagem Eletrônica, totalmente integrado operacionalmente com o Sistema de Bilhetagem do Sistema Convencional atualmente implantado, além do Sistema de Monitoramento da Frota. A cobrança de tarifa em dinheiro embarcada, nos micro-ônibus, também é responsabilidade da empresa que vencer o certame.

Pelo especificado no Anexo do Edital, estima-se um investimento inicial próximo de R$ 5 milhões. O prazo da concessão será de 10 anos, podendo ser prorrogado por igual período.

A tarifa de remuneração do serviço será de R$ 4,50, válida a partir da assinatura do contrato.

A revisão do valor da Tarifa ocorrerá a cada 3 anos, “alterando-o para mais ou para menos, considerando eventuais alterações na estrutura de custos ou de mercado, o compartilhamento de ganhos, e os estímulos à eficiência e à modicidade tarifária”, como definido no Edital.

Para ler o Edital na íntegra, clique no link: edital_cotia

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. ricardo disse:

    a Viação Raposo querendo criar monopólio em cotia, ai estamos ferrados iram aumentar a tarifa quanto quiserem, ministério público tinha que intervir e não deixando ela participar

  2. Tecia disse:

    na verdade aqui em na cidade de Cotia tem um esquema muito forte de transporte em a atual cooperativa que esta se passando TRANSBUS para ganhar a licitação. Precisamos de uma investigação mais profunda a respeito disso. Cobram propina de 70,00 aos cooperados e bilheta o cartão o tal BIT e não depositam na conta dos cooperados aleando que esta sendo cobrado a mensalidade e o valor cobrados pelo seus “fiscal” todos dos dias no ponto de ônibus , Sem falar que foi cobrado R$2.000,00 para o direito de continuar na cooperativa da licitação. Onde muitos não tinha como pagar ficou de fora do sistema que anos trabalham no transporte. Sem contar que anos atras dispunham de tirar carros novos para os cooperados onde muitos deram dinheiro e ate hoje não receberam nem o carro nem o seu dinheiro. E UMA VERGONHA ISSO E POSSO TE DISSER TUDO ISSO ACIMA TEMOS COMO PROVAR.

  3. Tercia disse:

    uma vergonha essa TRANSBUS que é a mesma que a COOPERSTAR
    porque não concorreu como o mesmo nome porque entrar com outro nome muita prova de corrupcão né deveria ser impugnado esta licitação. Em relação ao transporte de COTIA DEVERIA TER UMA MINUCIOSA INVESTIGAÇÃO

  4. Amanda disse:

    Boa tarde! Também estou sendo lesada. Corri com a coperativa até os últimos 45 minutos do segundo tempo… Aí por não irem com a minha cara ,um dos donos da coperativa exclui meu alvará,sendo que depositei os 2.000,00 da autorga da licitação….

Deixe uma resposta para ricardo Cancelar resposta