Ônibus em São Paulo perdem passageiros e remuneração das viações cresce

Publicado em: 11 de abril de 2019

Ônibus em São Paulo. Total de multas às viações em 2018 chegou a R$ 50,7 milhões – Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte) / Clique para Ampliar

Parte da queda da demanda foi atribuída às medidas antifraude do Passe-Livre. Relatório de administração da SPTrans ainda aponta cancelamento de 35 linhas . Gestora emitiu 86.129 autos de infração contra empresas de ônibus

ADAMO BAZANI

Menos pessoas usaram ônibus municipais na capital paulista no ano passado em comparação a 2017. A perda de demanda foi de 2,32%, ou 66,5 milhões de passageiros a menos entre 2017 e 2018.

Em 2018, o sistema de ônibus da cidade de São Paulo registou 2,79 bilhões de passagens pelas catracas. No ano anterior, em 2017, foram 2,86 bilhões.

Os dados fazem parte do relatório consolidado de administração da SPTrans – São Paulo Transporte,  gerenciadora dos serviços da capital,  publicado oficialmente nesta quinta-feira, 11 de abril de 2019.

No relatório, a SPTrans atribui a perda de passageiros dos ônibus ao maior número de feriados  e emendas em 2018 em relação a 2017 e às inaugurações de estações de metrô, além da medida para reduzir as fraudes do Bilhete Único Escolar gratuito (passe-livre) .

Uma parcela da redução está relacionada ao número de dias com operação normal entre os anos. No período de 2018, ocorreram 201 dias úteis e 71 dias atípicos entre: feriados, emendas de feriados, manifestações, jogos da Copa, etc, contra 217 dias úteis e 52 dias atípicos em 2017. Outra parte está relacionada às medidas antifraudes aplicadas no Passe Livre Estudante. As inaugurações das estações da linha amarela do Metrô: Higienópolis, em janeiro; Oscar Freire, em abril; e da linha Lilás: Eucaliptos, em março; Moema, em abril; AACD, em agosto; Hospital São Paulo, em setembro, Chácara Klabin e Hospital Santa Cruz, em setembro, também, tiveram impacto na redução da demanda do Subsistema Estrutural, principalmente nas Áreas de Operação 7 e 8. – diz trecho do relatório

Enquanto houve redução da demanda, a remuneração das empresas de ônibus pelas prestações dos serviços cresceu.

Ainda de acordo com o relatório, a remuneração das transportadoras cresceu 6,42% em 2018 na comparação com 2017. O maior acréscimo, de R$ 299 milhões (5,8%) foi para as viações que operam os ônibus de maior porte (subsistema estrutural). As antigas cooperativas, que operam os coletivos menores (subsistema local) tiveram acréscimo de R$ 192 milhões (4,7%).

Segundo o documento, em 2018, o valor médio de remuneração por passageiro transportado cresceu 8,95% em relação a 2017.

CORTE DE LINHAS E MULTAS:

O relatório da SPTrans ainda mostra que houve mais de 12 mil interferências da gerenciadora no sistema no ano passado.  A maior parte se refere à reprogramação dos horários dos ônibus, 7.645 ações.

Em 2018, foram canceladas 35 linhas de ônibus das aproximadamente 1,3 mil que existem no sistema. A maior parte dos cancelamentos foi entre as empesas que operam ônibus maiores com 24 eliminações de linhas. No subsistema dos bairros, houve 11 cancelamentos de linhas.

Com a assinatura dos novos contratos da licitação dos ônibus, cujas últimas homologações ocorreram na semana passada, as eliminações das linhas serão maiores, já que o objetivo com a nova rede de transportes é reduzir os custos do sistema acabando com as sobreposições de itinerários.

A SMT – Secretaria Municipal de Transportes alegou, entretanto, que as mudanças não serão repentinas. Após a assinatura dos contratos, o novo sistema entra em vigor em 120 dias. Somente depois disso vão ocorrer as mudanças das linhas num período entre seis meses e três anos

O balanço mostra ainda que foram restabelecidas 22 das linhas que tinham sido canceladas, a maior parte delas, 21, no subsistema estrutural.

O relatório ainda aponta que no ano passado, a SPTrans fez 86.129 autos de infração contra as empresas de ônibus, dos quais, 54.017 para o subsistema estrutural e 32.112 para o local.

O total de multas às viações em 2018 chegou a R$ 50,7 milhões (R$ 50.710.124,33).

Quanto às fiscalizações eletrônicas, o descumprimento de viagens respondeu por R$ 23,1 milhões, dos quais R$ 14,1 milhões foram descontados da remuneração das companhias de ônibus, ainda de acordo com o relatório.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. J.B.B disse:

    A queda de passageiro é clara para todas as empresas de toda São Paulo, não somente as Municipais, qualquer pesquisa mostra. O aumento da gratuidade então, nem se fala. O governo concede gratuidade para tudo, em várias Cidades o aposentado não paga ( mesmo o “rico” ).. olha que absurdo, todos os estudantes não pagam ( mesmo de escolas particulares ), professores não pagam ( mesmo de escolas particulares ), Carteiro, Policial, Idoso, Deficiente, acompanhante de deficiente, pensionistas etc… Eu pesquisei na EMTU e 28% transportado são gratuitos… Logo imaginei meu negócio oferecendo meus produtos de graça à 28% dos meus clientes…eu teria que trabalhar 3 meses de graça ao ano…
    O sistema precisa de reforma ou jajá a tarifa estará R$10 inviabilizando para quem precisa do ônibus de verdade e inviabilizando as empresas, porque quanto mais cara a tarifa, mais gente procura outra alternativa mais em conta, ou seja, menos passageiro ainda…

  2. PEDRO disse:

    A cidade de SP investi no quanto pior melhor, o Covas e um péssimo prefeito, depois da licitação aumentaram os intervalos e já sentimos a redução do número de ônibus, o prefeito Bruxo Covas esta cometendo suicídio politico, a sua gestão beira ao ridículo.

    1. PEDRO disse:

      Aonde você não entendeu que perdem passageiros e não deixam de pagar, aqui e questão de mau serviço e não gratuidade.

  3. Bruno Quintiliano disse:

    E vai cair mais ainda. Quem vai pagar 8,60 na ida e mais isso na volta por esse serviço cada dia pior? Ônibus demoram, quebram, ar condicionado desligado com janela que nao abre. A prefeitura multa, mas aumenta a remuneração. Sai mais barato pagar a multa que operar como deveriam. Os intervalos da Mobibrasil chegam facilmente ao triplo do programado, mesmo em linha que opera quase 100% no corredor (607c) e em horário sem trânsito. Na licitação, a empresa foi recompensada com a segunda maior tarifa da cidade.

  4. ademir disse:

    A quem interessa caancelamento de linhas ? direcionamentos?. mais baldiacoes mais tempo de espera .imagine uma linha que saia da v. ia da pra Praça do correio. direto a cada 15 minutos .agora PRA ir da v.ia da ao correio. Vc espero 30 minutos por uma lotação ate a coneccao Petrônio Portella. depois mais 30 minutos pra pegar o correio QUANDO tem. se não tem pega o barra funda ate a lapa pra depois pegar outro até o centro..demora três vezes mais que se fosse direto com uma condução. . lembrando que QUEM paga com vale transporte paga mais outra condução. parabéns prefeito. Vc disse a que veio

    1. Marcos Borges do Carmo disse:

      voce falou tudo Ademir.E pode esperar,no próximo ano esse prefeitinho safado vai estar com a cara de pau dele querendo reeleição. Se o povo dessa cidade for inteligente, fará o mesmo que foi feito com aquele outro ex prefeito do PT que fez uma administração CATASTRÓFICA e aí o que o povo fez?não o reelegeu.So que elegeram um tal de Doria que falou que cumpriria o mandato de prefeito ,NAO CUMPRIU E MENTIU PRA QUEM O ELEGEU,PRA MIM ELE NAO MENTIU,POIS NAO VOTEI NELE. Ai ele empurrou a cidade pra esse safado TIRANO que tá aí Parece que ele se inspirou no ex prefeito do PT pois ele tá seguindo os mesmos passos de como destruir uma cidade.POVO DE SP!FIQUEM ESPERTOS!NAO REELEJAM ESSE CARA!ESSA FAMÍLIA COVAS NAO VALE NADA!A FORMA DELES DE “GOVERNAR” É ASSIM!VIOLENTANDO O POVO!.

  5. Marcos disse:

    Ata que foi por conta de feriados…a perca foi por extinçao das linhas…..muitas baldeaçoes e altos intervalos….antes vc pega um onibus alimentar esperava 20 minutos para embarcar depois o troncal e gastava 1:30 de viagem….hj vc faz ate 3 baldeaçoes e 20 minutos na primeira baldeacao mais 20 minutos na segunda e mais 20 minutos na terceira levando 2:30 para fazer um percurso que era feita em 1:30….o preço da tarifa que so rico pode pagar…onibus com 6 duzias de bancos e dessas 6 duzias…5 sao reservados……qdo vai pegar a alimentadora no terminal so consegue embarcar no 3 onibus pois sao minis onibus apertados que nao cabe todos….e ainda nao quer perder passageiros?? A SpTrans e uma piada msm…hj com 5 mil vc compra um corsa ou palio 97 e nao paga ipva..vai sentado e nao faz baldeaçao….ou seja quem pode vai de carro quem nao pode vai de trem e metro….esse e o motivo da perca de pasageiros..so nao ve quem nao quer!!!

  6. ULISSES S S NETO disse:

    O aumento do número de desempregados é um fator importante

  7. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    A resposta para esta questão está na própria matéria, leiam com atenção.

    “Enquanto houve redução da demanda, a remuneração das empresas de ônibus pelas prestações dos serviços cresceu.”

    Até eu que sou mais bobinho queria ter um contrato de concessão de que quanto menos se trabalha mais se ganha.

    Cade o TCM e MP ?

    É um absurdo legalizado.

    Só no Barsil mesmo, depois não sabem o que gera a M financeira da União, dos Estados e Municípios e o pior que este dinheiro é pago pelo contribuinte o qual tem como retorno o desemprego, a falta de segurança, tarifa alta do buzão e um péssimo serviço de buzão.

    Infelizmente a Tia Cotinha não me ensinou essa continha, senão hoje estaria rico.

    Tudo culpa da Tia Cotinha.

    Tenham vergonha na cara.

    Att,

    Paulo Gil

  8. André gonçalves disse:

    Transporte de péssima qualidade, pegar um ônibus na faria lima na regiao do Itaim bibi após as 18:00 pra chegar a estação faria lima do metrô pode chegar a demorar 40 minutos, um desrespeito com o cidadão que paga um absurdo por esse lixo chamado transporte público.

Deixe uma resposta para J.B.B Cancelar resposta