Prefeitos do ABC querem se encontrar com Baldy em 15 dias para entenderem possíveis mudanças no projeto da linha 18

Desapropriações estão entre as principais discussões. Imagem meramente ilustrativa

Governador João Doria, sem citar eventual troca de modo de transporte, disse que haverá alteração de “formato” para a ligação

ADAMO BAZANI

Colaborou Janete Ogawa – Rádio ABC

Os prefeitos do ABC Paulista querem se reunir com o secretário de Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, para discutirem os estudos sobre a linha 18-Bronze, proposta inicialmente para ser um monotrilho que ligaria as cidades de São Bernardo do Campo, Santo André, São Caetano do Sul e São Paulo (estação Tamanduateí com conexão à linha 2 Verde do Metrô e linha 10 Turquesa da CPTM). – Veja detalhes no fim da matéria.

A declaração foi feita na manhã desta terça-feira, 09 de abril de 2019, pelo presidente do Consórcio Intermunicipal do ABC, Paulo Serra. O consórcio reúne prefeitos da região e Paulo Serra é prefeito de Santo André.

Nesta segunda-feira, 08, em entrevista coletiva que teve a participação do Diário do Transporte durante entrega da estação Campo Belo, da Linha 5-Lilás do Metrô, o governador de São Paulo, João Doria, confirmou que haverá modificação no “formato” do projeto.

Doria, entretanto, não falou explicitamente em mudança de modal, mas são debatidas outras alternativas, como manutenção do monotrilho, mas com alteração no modelo de concessão, ou a implantação de um BRT – Bus Rapid Transit (corredor de ônibus de maior capacidade em relação a corredores comuns de ônibus).

Importante registrar que nós vamos modificar esse formato. Houve um erro, a nosso ver, do governo que nos antecedeu, mas ao invés de ficar aqui apenas culpando o passado, vamos tratar de encontrar soluções para o presente e o futuro. Nós teremos um outro formato que não vai exigir 600 milhões de reais de pagamento de indenizações por desapropriações, até porque isso é inviável, nós não temos recursos no orçamento para essa finalidade. Então esse planejamento que o secretário Baldy tem conduzido será apresentado em breve, para que a nova solução a ser apresentada ela seja conclusiva, e não uma opção inviável e que gere apenas expectativas e não fatos reais e concretos”, disse Doria nesta segunda na entrevista coletiva.

Ouça:

Segundo Paulo Serra, a intenção dos prefeitos do ABC é conversar com o secretário de Doria em até 15 dias para esclarecimento das declarações do governador na coletiva.

“Tiveram algumas falas do governador, também do secretário, sobre os estudos que estão sendo feitos e nós queremos receber todas essas iniciativas de maneira oficial, já solicitamos hoje, a agenda pode acontecer nos próximos 15 dias.”  

Ouça:

Paulo Serra disse que os prefeitos não têm um modal de preferência, mas que questões como viabilidade, custo e tempo de implantação devem ser fundamentais na decisão.

“Acredito que a gente vai ter de pesar muito as questões de viabilidade, dificuldade de implantação, de tempo de implantação porque a região espera há muito tempo a vinda desta linha 18 para cá.” – disse Paulo Serra.

Ouça:

O prefeito de Santo André e presidente do consórcio disse que acreditar que a partir do segundo semestre, o projeto de ligação entre os municípios e a estação Tamanduateí seja viabilizado de fato.

“Eu acredito que o modelo seja definido ainda neste primeiro semestre, respeitando o prazo de 90 dias anunciado pelo governador, que tem se empenhado pessoalmente nesta questão, e a partir do segundo semestre para a gente começar a tirar do papel, ainda que não com obras físicas, mas dentro deste processo burocrático, que demora um certo tempo, para que independentemente de qual for a decisão, para que aí sim, a gente possa ter obras da linha 18 em andamento”  – disse Paulo Serra.

Ouça:

Ontem, em entrevista ao Diário do Transporte, por telefone, o prefeito disse que o Consórcio Intermunicipal do ABC quer indicar dois técnicos para acompanharem os estudos do Governo do Estado. Para Paulo Serra, o passageiro do ABC quer chegar rapidamente à estação Tamanduateí, em São Paulo, independentemente se for monotrilho, BRT ou qualquer outra opção de transporte.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/04/08/entrevista-linha-18-passageiro-do-abc-quer-chegar-a-sao-paulo-em-ate-20-minutos-diz-paulo-serra/

CUSTOS:

O monotrilho do ABC foi prometido em 2012 para ficar pronto entre 2014 e 2015, mas uma viga sequer foi erguida. Mesmo assim, o meio de transporte já está bem mais caro.

Em 2014, o monotrilho da linha 18-Bronze tinha uma previsão de consumir R$ 4,69 bilhões (R$ 4.699.274.000,00) para ficar pronto. O valor, de acordo com a atualização do orçamento pelo Governo do Estado, pulou para R$ 5,74 bilhões (R$ 5.741.542.942,61), elevação de 22,18%.

Os dados são da Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos e foram obtidos pela reportagem do Diário do Transporte por meio de Lei de Acesso à Informação.

Isso significa que cada quilômetro do monotrilho do ABC custaria, se saísse hoje do papel, R$ 365,7 milhões (R$ 365.703.372,14).

A demanda projetada pelo Governo do Estado para o monotrilho com toda a extensão concluída é de em torno de 340 mil passageiros por dia.

Atualmente, o principal entrave ao projeto é o alto custo das desapropriações para a construção das vigas dos elevados dos trens leves e estações que, segundo o Governo do Estado, estariam em torno de R$ 600 milhões.

Os estudos devem mostrar de fato quais serão os custos e a capacidade de outros modais que eventualmente podem ser considerados como alternativa ao monotrilho para a realidade da ligação e não de forma genérica.

Uma das alternativas que serão estudadas é um BRT (ônibus de trânsito rápido) em corredores, com estações no ougar de pontos que permitem pagamento de passagem antes do embarque nos coletivos.

Questionado pelo Diário do Transporte, o Consórcio VemABC, responsável pela implantação e operação monotrilho disse que “não foi notificado pelo Governo do Estado de São Paulo sobre seus planos para o prosseguimento da concessão.”

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

6 comentários em Prefeitos do ABC querem se encontrar com Baldy em 15 dias para entenderem possíveis mudanças no projeto da linha 18

  1. Ola so de santo andre trabalho em toda regiao da grande sp utilizo muito metro trem olha eu acho que sim pode mudar mais pra ampliar mais que sugestao 1 si a linha 18 interligase a estaçao de sao Matheus que vai abrigar a linha 15 prata ate entacao antinga da cptm estacao pirelli ate o terminal vila luzita pega av sao bernado ate o centro de sao bernado e fazendo a rotas que ele sugeriram ou sugestão 2 de sao matheus interliga estacao pirrelli ate av mario toledo de camago so que ate a delegacia da mulher subindo pela av adriatico pegando pra sao bernado ja ate o centro ou sugestão 3 de sao Matheus estacao pirelli estaçao santo andre estaçao rodoviria do prefeito saladino e subindo pela preste mais assim passando pela fundaçao i Rudge Ramos e interligando todo o sistema que sugerem as pessoas de sao Matheus sofrem no inturno da região do parque das Nações tem lugar que tem corredor mais tem outro que os brt io trolebus compete com carros e motos causa muito transtorno ali

  2. Edevanir de Melo Silva // 9 de abril de 2019 às 23:09 // Responder

    Senhores, governador e secretário dos transportes metropolitanos, acho q antes dos senhores tomarem uma decisão e o oficializarem o tal do BRT q ligará São Paulo á São Bernado do Campo, via São Caetano e Santo ou seja transporte de passageiros sobre pneus semelhante ao ineficiente corredor Metropolitano da EMTU/SP q foi construído á época, penso eu sem um estudo minucioso por pessoas/técnicos competententes que não tinha o mínimo de conhecimento da região que sofrem alagamentos e enchentes em vários pontos de seu trajeto causando panico e um desserviço a população, pois é o q pode acontecer se porventura for realmente implantado tal corredor, pois namaioria do seu traçado é de região com grande índice de alagamentos, deveria os senhores discutirem melhor essa alteração em conjunto com os prefeitos e população dos municípios integrantes a esse projeto q são conhecedores e sofreram todas as consequências por tal alteração do projeto.

    • é o que eu disse anteriormente, caro Edevanir… Veja a eficiencia do BRT Sacomã – P.D. Pedro II,,,16 km, sem problemas com enchentes naquela região…
      Monotrilho demanda tempo, é caro e quando ficar pronto (no agtraso de entrega) estará já superado..

  3. BRT não

  4. Raimundo Norberto // 10 de abril de 2019 às 14:54 // Responder

    No caso de Santo André, Monotrilho ou BRT não importa…mas sim que removam aquela favela horrível instalada encima da Avenida Lauro Gomes na divisa com São Bernardo.Aquela é uma área de preservação permanente , mas a prefeitura permite que se construa cada vez mais no local. Falta fiscalização por parte da secretaria de habitação do município que a exatamente 2 anos havia feito uma reunião pedindo para que não invadissem mais no local.

1 Trackback / Pingback

  1. CConsultor diz a consórcio de prefeitos do ABC diz que BRT pode atingir demanda indicada para linha 18 se tiver sistema de ultrapassagem – Diário do Transporte

Deixe uma resposta para Edevanir de Melo Silva Cancelar resposta