Início de dia complicado em São Paulo por causa de paralisação de ônibus

Categoria inicia campanha salarial e fez manifestações contra Reforma da Previdência

ADAMO BAZANI

Motoristas e cobradores de ônibus da cidade de São Paulo atrasaram a saída das garagens.

A paralisação ocorreu entre o início dos trabalhos, por volta de 03h30 até pouco depois da 05h, mas com reflexos sendo sentidos até depois das 06h porque os ônibus ainda não tinham chegado a todos os terminais e paradas.

Não é greve, de acordo com o sindicato da categoria.

Foi uma paralisação. A campanha salarial tem início nesta sexta-feira, 22 de março de 2019, e a categoria também protesta contra a reforma da Previdência.

Em nota, a SPTrans classificou o protesto como manifestação surpresa:

A SPTrans informa que uma manifestação sindical surpresa atrasou o início da operação de garagens das empresas do subsistema estrutural, nesta sexta-feira. Às 5h46, a frota de coletivos já estava circulando, mas ainda com reflexos no atendimento ao usuário. O serviço está sendo normalizado gradativamente.

As operadoras que descumpriram as primeiras partidas programadas, ocasionando intervalos excessivos, serão autuadas pela SPTrans.

Ao todo, um milhão de pessoas que utilizam os 3.820 ônibus de 561 linhas foram afetadas, prejudicando também a operação nos 29 terminais municipais. As linhas do subsistema local operam normalmente.

A equipe de fiscalização da SPTrans orienta os passageiros nos terminais e permanece monitorando a operação das linhas a fim de auxiliar a população.

Relação de garagens afetadas:

Área 1 (Noroestes)

Santa Brígida (Domingos de Souza)

Santa Brígida (Joaquim Oliveira Freitas)

Gato Preto (Av. Eng Alexandre Mackiense)

Área 2 (Norte)

Sambaíba (Elza Guimarães)

Sambaíba (Quirinópolis)

Sambaíba (João Simão de Castro)

Sambaíba (Maria Amália Lopes de Azevedo)

Área 3 (Nordeste)

VIP (Expandir)

VIP (Itaim)

VIP (AE Carvalho)

VIP (Imperador)

VIP (Iguatemi)

Área 4 (Leste)

Ambiental

Área 5 (Sudeste)

Via Sul (Cid. Tiradentes)

Via Sul (Cursino)

Via Sul (Guaianá)

Área 6 (Sul)

Cidade Dutra

Mobibrasil (Eng. George Cobisier)

Mobibrasil (Jorge Duprat Figueiredo)

Mobibrasil (Estrada do Alvarenga)

Área 7 (Sudoeste)

Ambiental (Itapecerica)

Ambiental (Carlos Lacerda)

Gatusa

KBPX

VIP – Guarapiranga

VIP – M’Boi Mirim

Área 8 (Oeste)

Gato Preto

Transpass (Jaguaré)

Transpass (Jd. D’Abril)

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Neide Salustiano disse:

    Cada um com sua realidade! Tem q protestar mesmo! Mas no final de tudo os afetados são a população!!

  2. cesar disse:

    O sindicato esta revoltado com o fim da contribuição sindical anual se lascaram

  3. Adriano disse:

    Essa greve ñ pode ser considerado como greve vendo que nos trabalhadores estamos lutando por nossos direitos trabalhistas. Mais uma vez esse governo quer empurrar as suas incompetências administrativas roubando nossos direitos. Empurrando essa nova lei trabalhistas tirando direitos conquistados á séculos como 13 salário aposentadoria.

    1. B.W de Três pontos disse:

      Século passado, que por sua vez não faz muito tempo assim e mesmo assim os direitos trabalhistas foram uma jogada política de Vargas para que este tivesse o apoio da classe trabalhadora.
      Felizmente o sistema econômico mudou, a realidade é outra, aliás não estão roubando seus direitos estão apena adaptando a nova realidade do mercado que, por sua vez vem mudando.
      Os problemas de de mercado e emprego hoje se deve a anos de super-privilégios dados a políticos e cabides de empregos em setores públicos. A sua pseudo luta deveria ser contra os políticos e seus privilégios que agora estão querendo aumentar o próprio salário.
      Além disso há um grande excesso de sindicatos no país que não servem pra nada, além de ROUBAR dinheiro da classe trabalhador.
      Todavia, não vai adiantar eu lhe tirar a venda sendo que tu não quer abrir os olhos.

      Forte abraço..

      Att. B.W

    2. Edu disse:

      Todos nós pagaremos por há anos elegermos políticos corruptos…

  4. Adriano disse:

    Onde está nossos dirigentes vendo algum direito para o povo brasileiro. Só sabem tirar nossos direitos trabalhistas. Empurrando mais impostos e carga horária de trabalho.

  5. Peterson Pedra disse:

    Para tudo logo, ficam nesse mi mi mi e o povo paulista que se lascam para vir ao trabalho faz logo a greve e anunciam que vão parar para o povo não ficar a pé e alguns quererem quebrar o pouco que temos.

    1. B.W de Três pontos disse:

      Os impostos se dão aos privilégios que estes estende-se a si mesmo. O Estado inchado é o problema
      .

  6. Jose Paulo disse:

    E quem se lasca é o trabalhador que depende do transporte público para chegar ao seu
    local de trabalho.
    Enquanto uns ganham, outros sempre perdem…

    Jose Paulo

  7. Debora Aparecida Soares de Oliveira disse:

    Se todos tivessem se unido e seguido respeitado a greve dos caminhoneiros até o fim tudo teria um final com resultados excelentes para todos desde o ano passado, mas ainda o brasileiro tem a consciência de que quem pode adquirir não se preocupa em estar unido com a classe menos favorecida, eu acredito no meu país, mas falta uniao para lutar até o fim e conseguirmos o melhor em prol de todos. Prejudica a população, mas tinha que ser a greve geral radical mesmo. O povo brasileiro tem uma força de influência enorme, mas precisamos fazer pra acontecer.

  8. Luizão disse:

    Sindicalistas???? Ainda existe essa raça de sanguesugas???

  9. Tcheco saeai disse:

    E o dalsalá ó….

Deixe uma resposta