Licitação da EMTU: todos os ônibus terão wi-fi de imediato e haverá cronograma de ar- condicionado, além da exigência de motor traseiro

Publicado em: 22 de fevereiro de 2019

Presidente da EMTU, Marco Antonio Assalve, diz que 100% dos ônibus terão ar-condicionado, mas de forma gradual. Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte) / Clique para Ampliar

Presidente da gestora, Marco Antonio Assalve, prevê que concorrência seja lançada ainda neste semestre. Executivo disse também que Corredor ABD é referência, mas reconhece necessidade de modernização da estrutura. Já BRT Perimetral Leste está sob avaliação e projeto pode passar por mudanças

ADAMO BAZANI

Colaborou Jessica Marques

A EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos promete qualificar os serviços de ônibus intermunicipais da Grande São Paulo com a licitação do sistema.

O presidente da gestora, Marco Antonio Assalve, disse nesta quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019, que pretende ainda neste semestre lançar o edital.

A gestão passada tinha anunciado que a concorrência seria aberta em dezembro, mas com a nova administração, a Secretaria de Transportes Metropolitanos e a EMTU preferiram fazer ajustes no edital.

Marco Antonio Assalve, em conversa com portais de mobilidade, dentre os quais, o Diário do Transporte, disse que ar-condicionado, Wi-Fi e veículos de motor traseiro serão algumas das prioridades para melhorar o atendimento dos ônibus na Região Metropolitana.

Para financiar a instalação e operação dos novos equipamentos que serão embarcados nos ônibus, o edital vai prever uma mudança na forma de remuneração das empresas. Será adotado o sistema de tarifa de remuneração e não apenas tarifa pública.

“O que diferencia dessas licitações anteriores é que vamos trabalhar com a tarifa de remuneração e a tarifa pública. Anteriormente, você só tinha a tarifa pública, que era passada para os operadores. Com a possibilidade da tarifa de remuneração, se pode contemplar alguns benefícios que a gente pode trazer para a população, como novas obras de terminais. Neste modelo, estamos colocando a questão do ar-condicionado. Wi-Fi também será outra modernidade no sistema, em todos os ônibus e de imediato. O ar-condicionado terá um percentual anual até chegar em 100%, assim como o motor traseiro também, que terá especificado um percentual já em edital.” – explicou o dirigente da EMTU.

Assim, haverá a possibilidade de subsídios às operações, além dos complementos pelas gratuidades a idosos entre 60 e 64 anos. Para o transporte de pessoas com 65 anos ou mais, não há subsídios.

A licitação dos ônibus intermunicipais deveria ter sido realizada em 2016, mas depois de questionamentos de eventuais concorrentes e o bloqueio no ano passado por parte do TCE – Tribunal de Contas do Estado de São Paulo foi necessário refazer todo o edital.

Na região do ABC Paulista, a área 5 da EMTU, a situação é mais grave. Nunca foi realizada uma concorrência. As empresas operam por permissões precárias baseadas em modelos de contratos e prestação de serviços de 1980, ou seja, de quase 40 anos. A região do ABC é a que concentra os ônibus mais velhos, linhas desatualizadas, menor índice de acessibilidade nos veículos e algumas empresas que figuram entre as piores avaliadas no IQT – Índice de Qualidade do Transporte, indicador da EMTU.

O governo do Estado, tentou desde 2006, por seis vezes licitar a área 5, sem sucesso. Em cinco tentativas, os empresários da região esvaziaram a concorrência, não apresentando propostas e, na sexta vez, uma liminar da Justiça de Manaus, em benefício do grupo do empresário Baltazar José de Sousa, em recuperação judicial, impediu a concorrência.

A EMTU conseguiu reverter a decisão.

Ao longo das seis tentativas, a gerenciadora cogitou extinguir a área 5 e fazer com que as áreas vizinhas incorporassem as operações de acordo com os limites dos municípios, mas desistiu da possibilidade.

A área 5 estará prevista na licitação que será lançada neste semestre.

MODERNIZAÇÃO CORREDOR ABD:

Apesar de boa avaliação de passageiros, estrutura do Corredor ABD precisa de modernização, como nas paradas. Foto: Adamo Bazani (Diário do Transporte)

O presidente da EMTU, Marco Antonio Assalve, também disse que está nos planos do Governo do Estado a modernização do Corredor ABD e que a gestora deve conversar com prefeitos da região para minimizar gargalos, principalmente em trechos compartilhados com o trânsito comum, como ocorre na região da Praça IV Centenário e Acisa, em Santo André, e no Paço Municipal de São Bernardo do Campo, por exemplo.

Assalve não detalhou obras e prazos, mas reconheceu que, apesar de as operações do corredor terem índices de aprovação que já chegaram a superar a do Metrô, é necessário modernizar a infraestrutura do sistema.

O corredor começou a funcionar entre 1986 e 1988 e, desde então, houve poucas mudanças na infraestrutura. Ainda não há o pré-embarque, que é o pagamento da tarifa antes de o passageiro entrar no ônibus ou no trólebus, pontos de ultrapassagem entre os coletivos e equipamentos que dão preferência ao tráfego do corredor nos cruzamentos.

“O Corredor ABD é uma referência. Aquela região foi muito bem servida quando se estruturou um corredor daquele. Merece ser revisto, merece ser reavaliada toda essa situação. É um corredor que veio de 1988 e em 1997 foi feita a concessão para a Metra. Na época, eu fui à inauguração e trabalhava na CMTC. Só que o tempo passa e você tem que partir para algumas modernizações. O estado está revendo todo esse conceito de corredores, não só de lá. Nós temos outros corredores em implantação ou a serem implantados”

O Corredor ABD tem 45 quilômetros de extensão, sendo 33 km no eixo principal, entre São Mateus, na zona Leste de São Paulo, e Jabaquara, na zona Sul, passando pelos municípios de Mauá (Terminal Sonia Maria), Santo André, São Bernardo do Campo e Diadema.

Os outros 12 km são da extensão entre Diadema e Brooklin, na zona Sul.

A linha 376, que opera a extensão, é alvo de reclamações como a superlotação.

A concessionária Metra comprou 25 ônibus articulados novos que devem substituir os mais antigos de tamanho comum e ampliar a capacidade de atendimento.

Como mostrou o Diário do Transporte, até o início de março os novos veículos devem entrar em operação.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/02/18/linha-376-da-metra-deve-receber-novos-onibus-articulados-ate-o-inicio-de-marco-segundo-emtu/

Marco Antonio Assalve ainda diz que a EMTU conversa com a CET – Companhia de Engenharia de Tráfego, da capital paulista, para encontrar formas de coibir as invasões por parte de carros e motos na ligação.

Cerca de 80% da extensão Diadema-Brooklin estão em São Paulo. Pelo corredor também passam ônibus municipais da SPTrans – São Paulo Transporte e é permitido o trânsito de táxis, o que interfere na velocidade comercial.

BRT PERIMETRAL LESTE:

Traçado original do BRT Radial Leste. Projeto pode passar por mudanças. Reprodução EMTU

O presidente da EMTU também comentou com os portais de mobilidade sobre o BRT Perimetral Leste, uma ligação entre o Corredor Metropolitano ABD, por São Mateus, e o Corredor São Paulo-Guarulhos.

O BRT deveria atender a 175 mil passageiros por dia em 22,1 km de extensão. O eixo principal da proposta é na Avenida Jacu Pêssego, na zona Leste de São Paulo, com 14,4 km.

As obras deveriam ser concluídas, pelo projeto original, em 2015.

Mas uma parte do BRT Perimetral Leste seria sobreposta à linha 14-Ônix da CPTM – Companhia de Trens Metropolitanos, que pode ser operada com VLT – Veículo Leve sobre Trilhos e ainda não tem data para sair do papel.

Marco Antonio Assalve diz que o projeto do BRT está em revisão e que pode haver alterações para que não haja sobreposições.

“É como eu falei, não dá para você ser independente. Então quando você age em um sistema, você tem que conversar com os seus pares. E os pares dentro da mesma secretaria são Metrô, CPTM e EMTU. Então, esse caso, estamos revendo, olhando todo o BRT Perimetral. É uma coisa a ser vista. Pode ser que não seja por ali, seja por outro, mas tem que analisar. Não vamos falar que não vamos fazer também porque se estão estudando [a linha 14], vamos ver o que evolui primeiro, um ou outro [linha 14 ou BRT].

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Jessica Marques

Comentários

  1. vagligeirinho disse:

    Não entendo a exigência do Wi-Fi. Dado que hoje a oferta de 3/4G é alta, a oferta do WiFi público é “mimo”, quase um “penduricalho” que não ajuda muito.

    A exigência do motor traseiro é outro problema dado que muitas áreas periféricas tem problemas com ângulo de entrada, nos quais seria um risco para o motor que sofreria impactos na entrada e saída de ruas em aclive/declive. Claro que gostaria muito que trocasse para permitir mais conforto a todos, desde que as tecnologias estejam já adaptadas e adequadas a nossa realidade.

    De qualquer forma, o resultado desta licitação provavelmente só veremos em 2021

  2. JOSE LUIZ VILLAR COEDO disse:

    E o Corredor EMTU Guarulhos (Taboão / Aeroporto Cumbica) a São Paulo (Metrô Tucuruvi, Zona Norte da Cidade e ligação, na V. Endres em Guarulhos , com a futura CPTM Tiquatira – região da Penha Zona Leste 1 da Capital …) NADA NADA NADA!!! Nem parece que a Prefeitura e o Estado estão nas mais do mesmo Partido Marxista Socual-Democrata burguês o PSDB! PSDB E PT… FARINHAS IGUAIS EM SACOS DIFERENTES! o tal Corredor “nascee morre” dentro de Guarulhos ainda! era promessa dos finados Franco Montoro e Orestes Quércia para as Eleições ao Governo em 1.982 ! Junto com o Corredor ABD! QUE É SUCESSO SEMPRE APESAR DA IDADE!

  3. ANDRE FERNANDES disse:

    no abc onibus com ar condicionado motor traseiro zero km nem no sonho com esses empresarios lixo ( baitazar )

  4. Alfredo disse:

    Nada vai acontecer, promessas vazias como o monotrilho do abc, PSDB e PT só enganam os eleitores

  5. Ônibus de motor traseiro da para operar sem nenhum problema linhas da EMTU como a Terminal Km 21 / Lapa e Metrô Butantã e Terminal Cotia / Metrô Butantã , acho um absurdo ônibus de motor dianteiro operando o trecho entre o Terminal Cotia e o Metrô Butantã sendo que a linha segue a maior parte do trajeto via Rodovia Raposo Tavares

  6. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Antes de pensar em perfumarias a EMTOSA tem de primeiro resolver problemas gravíssimos que ocorrem desde 1992, como por exemplo a quebra de no mínimo 1 buzão/dia na Avenida Goias e providenciar a solução da área 5.

    Primeiro fazer a lição de casa, se não consegue operar nem com cabritinho bagaceira, como pensar em motor traseiro com USB, Wi-Fi e ar condicionado.

    Nada contra modernidades, mas na atual situação do ABC não é a hora.

    Att,

    Paulo Gil

  7. Baixada santista então nem ta…..

  8. jackson disse:

    melhor acabar com a circulação de onibus urbanos no Abc manda o povo dar um jeito de arrumar um fretado que é mais futuro Baltazar ronan a Familia setti braga e o satanás que mandam no ABC..

  9. MARCOS NASCIMENTO disse:

    E nesta entrevista NADA disse sobre mudanças nas pinturas dos onibus metropolitanos para cores por áreas e por tipos de serviços se a licitaçáo tivesse saído em 2016. Também nada se falou sobre o plano original de construir mais de 300 km de corredores metropolitanos com 31 terminais ao longo dos diversos eixos viários.

  10. Diego Azevedo disse:

    Bela matéria, repleta de informações de qualidade. A intenção de modernizar a frota e melhorar os serviços aos passageiros me parecem interessantes e dignos. Há sempre que levar em conta a rentabilidade operacional das empresas.
    Já vi casos (em países/regiões menos desenvolvidos) em que pela oferta de wi-fi gratuito e ar condicionado, os passageiros não descem nos ônibus no destino original, permanecendo muito além do necessário.
    Outra coisa que não fica clara, é possivelmente seja assunto para uma nova matéria, é a questão da tarifa de remuneração.

  11. alexandro disse:

    fiz a sugestão para a emtu para haver linha expressa : jabaquara – ferrazopolis ou santo andre – ferrazopolis e eis a resposta:

    ” informamos que a mesma será mantida em nossos arquivos e considerada oportunamente nos estudos por nós desenvolvidos.

    que todos os usuarios do abc deste site façam o mesmo, e um dia teremos isso, ganharemos tempo de vida.

  12. alice disse:

    É uma vergonha o preço da passagem de cotia,dessas regiões onde tem operações dessas linhas de ônibus. Aqui em cotia é uma linha muito cara,eles só pensam no bolso deles.

  13. alice disse:

    Deveria era pensar em fazer um meio de transporte mas rápido aqui para essa região de cotia,pois em Itapeví existe linha trem,aqui em cotia nada.Será que esse governo tem visto a situação da população dessa redondesa?

Deixe uma resposta para alice Cancelar resposta