Governo do Estado de São Paulo lança concessão rodoviária ligando Campinas à divisa com o Mato Grosso do Sul

Publicado em: 17 de fevereiro de 2019

A concessão também prevê compensação de emissões de gás carbônico decorrentes da operação. Foto: Divulgação.

Projeto inclui obras de 1.201 quilômetros de rodovias e duplicação em 417 quilômetros

JESSICA MARQUES

O Governo do Estado de São Paulo lançou a primeira concessão rodoviária da gestão de João Dória. O projeto liga Campinas à divisa com o Mato Grosso do Sul e inclui obras de 1.201 quilômetros de rodovias, além da duplicação em 417 quilômetros.

A previsão é de que os investimentos feitos girem em torno de R$ 9 bilhões em 30 anos, segundo informações da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo).

“O modelo tarifário da nova licitação terá redução de até 20% no valor do pedágio das praças atualmente operadas pela Centrovias e desconto adicional de 5% para quem usar o sistema eletrônico de tag. Além disso, a nova concessão prevê tarifa flexível por fidelidade, com desconto progressivo para usuários frequentes, e a possibilidade de implantação do sistema Ponto a Ponto, no qual usuários pagam por trecho percorrido”, informou a Artesp, em nota.

A concessão também prevê compensação de emissões de gás carbônico decorrentes da operação. A obrigação será fiscalizada por meio de certificação.

O novo lote, entre Piracicaba e Panorama, é composto pela malha de 218 quilômetros atualmente operada pela concessionária Centrovias, do Grupo Arteris, cujo contrato vence este ano.

Além disso, 983 quilômetros operados pelo DER-SP passarão a receber todas as modernizações do Programa de Concessões Rodoviárias do Governo do Estado de São Paulo, segundo o Governo do Estado. Serão contemplados trechos das rodovias SP-304, SP-308, SP-191, SP-197, SP-310, SP-225, SP-261, SP-293, SP-331, SP-294, SP-284 e SP-425.

“Entre as intervenções previstas estão duplicações, faixas adicionais, vias marginais e contornos urbanos, obras que melhoram a fluidez, o escoamento da produção regional e a segurança viária. Também serão implantados acostamentos, novos acessos e retornos, recuperação de pavimento, passarelas e ciclovias. O projeto prevê, ainda, que a cada quatro anos sejam realizadas revisões que possam adequar novos investimentos nas pistas. Assim, poderão ser antecipados ou feitos novos investimentos, como duplicações e faixas adicionais de acordo com a avaliação de novas demandas.”

A Artesp informou ainda que a concessionária equipará as rodovias com Wi-fi dedicado (rede de dados sem fio) ao longo de toda a malha. “As rodovias serão totalmente monitoradas por câmeras inteligentes e haverá pesagem em movimento para a fiscalização de veículos”.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta