Recife: continua a indefinição quanto ao reajuste das tarifas dos ônibus

Foto: Lucas Silva

Em encontro com presidente do Conselho de Transporte, movimentos sociais pediram adiamento da reunião marcada para 12 de fevereiro, que discutirá o aumento da passagem

ALEXANDRE PELEGI

Continua o impasse sobre o reajuste da tarifa do transporte público da Região Metropolitana do Recife (RMR). Nova reunião ficou marcada para o dia 12 de fevereiro de 2019, ocasião em que, mais uma vez, o tema das tarifas das passagens de ônibus da RMR voltará a ser avaliado pelo Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM).

Nesta sexta-feira, dia 1º de fevereiro, representantes da Frente de Luta pelo Transporte Público de Pernambuco (FLTP) se reuniram com o secretário estadual de Desenvolvimento Urbano e Habitação e presidente do Conselho Superior de Transporte Metropolitano (CSTM), Marcelo Bruto.

Na pauta do encontro, a proposta que os movimentos sociais vêm divulgando: a redução da tarifa dos atuais R$ 3,20 para R$ 2,70 (Anel A).

A proposta de reajuste vai na contramão do que sugere o Grande Recife Consórcio de Transporte: aumento de 7,07%, o que elevaria a tarifa de R$ 3,20 para R$ 3,45.

A Frente de Luta pede também a tarifa única no sistema. Trocando em miúdos, propõe a extinção dos anéis B e G, passando a existir apenas o anel “A”. O anel “D”, que atende apenas quatro linhas de ônibus, será extinto segundo previsto pelo Grande Recife Consórcio de Transporte.

A depender dos movimentos sociais, a reunião do CSTM do dia 12 pode ser adiada. Foi isso que seus representantes pediram no encontro de ontem com o presidente do Conselho.

Pedro Josephi e Márcio Morais, que além de representar a Frente de Luta também são membros do CSTM, alegaram a falta de documentos que comprovem a necessidade do reajuste tarifário.

Pedro Josephi alega não ter ficado claro se o reajuste é da tarifa, que é preço final pago pelo consumidor, ou do Preço de Remuneração ao Operador (PRO), que é o custo do serviço.

Se for a segunda opção, precisam disponibilizar documentos que comprovem a necessidade do aumento das passagens. Mas, se o aumento for na tarifa final, não aceitaremos, já que os reajustes devem seguir o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) e, segundo ele, a passagem deveria estar custando R$ 2,70”, afirmou Pedro ao Jornal do Commercio.

Como noticiou o Diário do Transporte, na véspera da reunião do CSTM, marcada para 25 de janeiro, a Frente de Luta pelo Transporte Público de Pernambuco conseguiu liminar suspendendo o encontro. O Governo de Pernambuco recorreu, mas a Justiça negou o recurso. Relembre: Justiça nega recurso do Estado e aumento da tarifa de ônibus continua suspenso para Região Metropolitana do Recife (PE)

SISTEMA TARIFÁRIO

No Grande Recife o sistema tarifário depende da extensão das linhas. Há alguns anos funciona o sistema de anéis tarifários, que variam o preço da tarifa de acordo com a distância percorrida por cada linha de ônibus. Cada anel tarifário corresponde a um valor diferente da passagem.

O anel A, que é utilizado por mais de 70% dos usuários, tem uma tarifa de R$ 3,20.

O anel B tem tarifa de R$ 4,40. O anel D, R$ 3,45; e o G, R$ 2,10.

Operadoras e siglas que operam na RMR:

BOA – BORBOREMA IMPERIAL TRANSPORTES LTDA

CAX – RODOVIÁRIA CAXANGÁ LTDA

CNO – CONSÓRCIO CONORTE

EME – EMPRESA METROPOLITANA S/A

GLO – TRANSPORTADORA GLOBO LTDA

VML – VIAÇÃO MIRIM LTDA

PED – EMPRESA PEDROSA LTDA

MOB – MOBIBRASIL EXPRESSO S/A

SJT – AUTO VIAÇÃO SÃO JUDAS TADEU

TRC – TRANSPORTES COLETIVOS LTDA – TRANSCOL

VRC – EXPRESSO VERA CRUZ LTDA

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta