Prefeitura de Bauru altera benefício de Vale-Transporte e desagrada funcionalismo municipal

Foto: Transurb

Projeto do Executivo quer estender benefício, hoje limitado aos que ganham menos, a todos os funcionários, mas quer descontar 4% do salário  

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Bauru, interior de São Paulo, enviou à Câmara Municipal um Projeto de Lei propondo a extensão do benefício do Vale-Transporte a todo o funcionalismo municipal.

Hoje o benefício é concedido gratuitamente aos que ganham salário de até R$ 2.300,00. Com a extensão a todos os empregados, a prefeitura quer, em contrapartida, recolher 4% de contribuição, independente da faixa salarial.

A proposta causou imediata rejeição do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Bauru e Região (Sinserm), que ontem, dia 17 de janeiro de 2019, em reunião com a prefeitura, pediu que o projeto de fosse retirado.

Para o prefeito Clodoaldo Gazzetta, que antecipou o período de negociação salarial com o Sinserm (a data-base é em março), o motivo é a despesa que o benefício, hoje subsidiado pela prefeitura, está causando uma despesa de mais de R$ 2 milhões/mensais.

Para Moisés Cristo, diretor do Sinserm, o Projeto vai penalizar aqueles que ganham menos. Em declaração ao portal JCNet, de Bauru, o líder sindical afirmou que o sindicato é a favor de ampliar o benefício, “desde que não haja prejuízo aos trabalhadores”.

A maioria que usa o vale-transporte é quem recebe menos e cobrar sobre o salário prejudica diretamente esses funcionários. Da maneira como foi proposto, a gente é contra“, afirmou Moisés Cristo.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta