Operação de ônibus municipais de Fortaleza tem esquema especial neste fim de semana

Por segurança, ônibus circulam com policiais embarcados. Foto: Divulgação.

Mudanças ocorrem por segurança, após série de ataques que ocorre desde 2 de janeiro

JESSICA MARQUES

A operação dos ônibus municipais de Fortaleza terá um esquema especial neste fim de semana. As mudanças ocorrem por segurança, após uma série de ataques que afeta a capital desde 2 de janeiro de 2019.

A Etufor (Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza) e o Sindiônibus (sindicato das empresas de ônibus) informaram como será o funcionamento do transporte público neste fim de semana na capital cearense.

Confira:

Sábado (12)

Até 15h – o serviço opera normalmente com 100% da frota;
A partir das 15h – serviço opera sem os ônibus que fazem a ligação direta dos bairros com o Centro (os usuários poderão utilizar outras linhas do bairro com integração nos terminais para chegar ao Centro e vice-versa);
A partir das 16h – será mantido apenas o serviço de transporte coletivo com uma rede básica, ou seja, apenas o necessário para a demanda e horário.
Domingo (13)

Até 15h – serviço vai operar com uma frota 30% menor do que a ofertada no sábado;
A partir das 15h – serviço vai operar com rede básica, priorizando deslocamentos típicos do domingo e com policias embarcados nos coletivos.

Ainda segundo a Etufor, as linhas que circulam em áreas de risco potencial, como as linhas 243 – Parque Universitário/Antônio Bezerra e 324 – Conjunto Ceará/1ª etapa, ficarão suspensas temporariamente. Nesse caso, os usuários também poderão utilizar outras linhas no bairro com integração no terminal.

Segundo a Etufor, após às 20h de quinta e sexta, os ônibus responsáveis por linhas que têm trajeto entre terminais tiveram que rodar com policiais embarcados. O sistema alimentador, que vai dos bairros aos terminais, também funcionam exclusivamente com agentes a bordo.

Após às 21h, haverá redução na frota de ônibus e encerramento das atividades das topiques, que são vans responsáveis pelo transporte coletivo da cidade.

Os ataques ocorrem desde 2 de janeiro de 2019 na capital e, segundo informações de órgãos públicos de segurança, facções criminosas estão orquestrando as ações.

Uma guerra entre facções rivais é apontada como um dos principais motivos para a onda de violência. O governador Camilo Santana já se pronunciou e informou que vai “bater de frente” e implementar diversas mudanças nos presídios.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta