Parte dos trabalhadores recebe salários atrasados e ônibus começam a circular na Grande Vitória

Greve foi realizada para reivindicar o pagamento de salários atrasados. Foto: Divulgação / Governo do Estado.

Segundo o Sindicato dos Rodoviários, duas empresas, Vereda e Praia Sol, ainda não fizeram os pagamentos

JESSICA MARQUES

A situação do transporte público começa a se normalizar na Grande Vitória, Espírito Santo, após uma greve de motoristas e cobradores que paralisou a região na manhã desta terça-feira, 8 de janeiro de 2019.

Segundo o Sindirodoviários (Sindicato dos Rodoviários), a greve foi realizada para reivindicar o pagamento de salários atrasados.

Relembre: Rodoviários paralisam ônibus em duas cidades da Grande Vitória em protesto contra atrasos salariais

A situação começou a ser normalizada no fim desta manhã, quando parte dos trabalhadores passou a receber o dinheiro.

O tesoureiro do Sindicato dos Rodoviários, Valdecir Laurindo, informou à Folha Vitória que a Serramar (Grande Vitória) já fez o pagamento e, por esse motivo, 120 ônibus das linhas sob responsabilidade da empresa já voltaram a circular.

Entretanto, outras duas empresas, Vereda e Praia Sol, ainda não efetuaram o pagamento, segundo a categoria. A intenção dos rodoviários é normalizar a operação de todas as viações e, se até 16h o salário não for pago, retomar a greve ainda nesta terça-feira.

Segundo a mídia local, a greve dos rodoviários das três empresas de transporte da Grande Vitória deixou passageiros de 67 linhas de ônibus de Serra e Vila Velha sem transporte público nesta terça-feira.

Em nota, a GVBus (Sindicado das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória) informou que a paralisação foi pontual e atingiu bairros de Vila Velha e da Serra. As empresas estão negociando com os profissionais.

A GVBus disse ainda, emnota, que lamenta a postura do Sindirodoviários que “surpreendeu a população e as empresas ao realizar uma paralisação sem se preocupar em informar os passageiros previamente, como prevê a lei de greve”.

Por sua vez, a Ceturb-ES (Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Espírito Santo) informou que vai oficiar os consórcios responsáveis para apurar a situação.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta