Metrô da capital dos EUA decide liberar bicicletas nos trens a qualquer hora do dia

Sistema metroviário carrega pouco mais de 600 mil passageiros/dia, 13% do movimento do metrô paulistano

ALEXANDRE PELEGI

Era uma vez (a maioria das décadas de 1980 e 1990), quando era necessária uma autorização especial para levar uma bicicleta em um trem do metrô de Washington, – e mesmo assim, apenas nos finais de semana ou feriados”.

Começa dessa forma uma matéria publicada no site DCist, homepage não oficial de Washington, capital e distrito federal dos Estados Unidos.

O texto conta como a WMATA, a Autoridade de Trânsito da Área Metropolitana de Washington (Washington Metropolitan Area Transit Authority, na sigla em inglês), comumente chamada de Metro, passou ao longo dos anos a relaxar suas restrições quanto a permitir ao usuário entrar com sua “magrela” nos vagões do metrô.

A WMATA, que opera serviços de ônibus na região metropolitana da capital dos EUA, inaugurou em 1976 a rede Metrorail de metrô, que opera com seis linhas, 91 estações e 188 km de trilhos, e só perde em número de viagens de passageiros para os metrôs de Nova York e Chicago “L” (metrô elevado).

Agora, cai a última e mais antiga restrição, a que impedia levar bicicletas nos trens durante a hora do rush.

A matéria cita Joe Leader, chefe de operações do Metrô, que explica a liberação: “Recebemos pedidos da Associação de Ciclistas da Área de Washington e outros membros da comunidade de bicicletas que nos pediram para dar uma nova olhada em nossa política“, disse.  “Acreditamos que essa mudança apoia o crescimento do número de passageiros fazendo da Metro uma opção de transporte para aqueles que querem ter uma bicicleta a seu lado”.

Desde 2001 as bicicletas passaram a ser liberadas nos trens do metrô, exceto nos dias úteis das 7h às 10h e das 17h às 17h. A partir da próxima segunda-feira, dia 7 de janeiro de 2018, os passageiros poderão levar suas bikes a qualquer momento. Mas com uma observação importante: “desde que haja espaço disponível”, segundo informa a Agência Metro.

A Metro explica que essa nova política se deve a seus carros relativamente novos da série 7000, com mais espaço interno, e a um esforço para operar com trens de oito vagões. A Agência também observou que pretende com isso aumentar o número de usuários que chegam ao metrô de bicicleta, passando de 0,8% dos clientes em 2016 para 2,1% até 2020.

Os ciclistas serão lembrados sempre que devem usar as portas no final dos vagões ao invés do centro, além de evitar o bloqueio de corredores.

Os usuários do metrô de Washington estão divididos quanto à nova política. Há desde apoios e elogios, até críticas de descontentes com a liberalidade, que acreditam que isso vai complicar a vida de quem usa o sistema de metrô nas horas de pico.

Fica difícil imaginar o Metrô de São Paulo com uma permissão dessa natureza, um sistema que transporta cerca de 4,5 milhões de passageiros diariamente. Para se comparar os dois sistemas, o Metrô de Washington carrega pouco mais de 600 mil passageiros/dia, apenas 13% do movimento do metrô paulistano.

REGRAS PARA BICICLETA NO METRÔ DE SP:

O Metrô de São Paulo e a CPTM aceitam o transito de bicicletas em determinados horários, além de possuir bicicletários em algumas de suas estações. Veja o Regulamento:

metro_bike_SAMPA

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Luis Marcello Gallo disse:

    Bicicletas não podiam ser transportadas das 17h às 17h? Como assim?

  2. Marcelo Padua disse:

    Não vejo tanto problema assim, basta que o último vagão não disponha de assentos, podendo ser utilizado tanto por ciclistas quanto pedestres, sempre com preferência para estes.

Deixe uma resposta