VLT do Rio de Janeiro transporta mais de 17 milhões de passageiros em 2018

Em dezembro deste ano, aumento do número de pessoas por dia útil foi de 42% em relação ao mesmo período de 2017

JESSICA MARQUES

O VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) Carioca informou que, em 2018, transportou mais de 17 milhões de passageiros. Ao longo do ano, foram mais de 150 mil viagens realizadas.

Apenas em dezembro deste ano, segundo o VLT Carioca, foi constatado um aumento do número de pessoas por dia útil de 42% em relação ao mesmo período de 2017. A circulação no mês foi de em média 80 mil pessoas por dia.

De janeiro a dezembro, a frota de VLTs percorreu 1,4 milhão de quilômetros nas ruas do Centro e Região Portuária do Rio de Janeiro.

Além disso, o balanço mostra que, desde o início da operação, em junho de 2016, mais de 33 milhões de pessoas já andaram de VLT na cidade.

“O tempo de percurso foi reduzido em mais de 50% e hoje já é possível percorrer o trajeto completo das duas linhas (da região da Rodoviária ao Santos Dumont ou à Praça XV) em cerca de 25 minutos”, informou o VLT, em nota.

Dentre as 26 paradas em operação, a estação Central é a de maior público e concentra pouco mais de 10% dos embarques diários. O local também é onde os passageiros utilizam mais o benefício do vale-transporte, representando em média mais de 50% dos usuários.

“Vale destacar ainda que em média 70% do público utiliza o VLT para deslocamentos de trabalho, de acordo com pesquisas realizadas desde o início da operação. Nos fins de semana, com novos polos de entretenimento criados e recuperados no Centro, as viagens com finalidade de lazer e turismo chegam a 45%”, finalizou a nota do VLT Carioca.

A passagem do VLT custa R$ 3,80 e cada passageiro deve ter o próprio cartão. A compra e recarga podem ser feitas nas paradas e estações, que contam ainda com terminais para consulta de saldo, desbloqueio de cartões e liberação de recarga on-line, feita por meio do site Recarga Fácil.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rogerio Belda disse:

    Vou embora para o Rio de Janeiro. Lá o “bonde” só precisa do motorneiro.
    Se é que eu entendi notícia. (Na capital da Austrália eu sei que é assim). Belda
    P.S. – E, lá, ainda há integração com uma linha circular grátis no centro da cidade.
    [ Mas nela há supervisão para evitar vandalismo e bagunça ]

  2. Marc disse:

    E o nosso prefeito ainda chama o VLT de trenzinho…. O carioca definitivamente nao merece!

  3. Marc disse:

    Em tempo. Foi o novo governador que falou isso. Desculpe Crivella, você falou
    é que ia cuidar das pessoas…. Quando vai começar?

Deixe uma resposta