Ministério Público Federal pede apuração de crimes durante greve de ônibus na Grande Vitória

A intenção é apurar se houve algum crime contra a organização do trabalho durante a greve. Foto: Divulgação.

Pedido foi feito à Polícia Federal, com prazo de 90 dias para conclusão das investigações

JESSICA MARQUES

A greve dos rodoviários da Grande Vitória, no Espírito Santo, chegou ao fim nesta quarta-feira, 5 de dezembro de 2018. Entretanto, os desdobramentos da paralisação ainda continuam nesta semana.

O Ministério Público Federal pediu à Polícia Federal a apuração de crimes durante a greve de ônibus na região. O pedido estabelece um prazo de 90 dias para a conclusão das investigações.

A intenção é apurar se houve algum crime contra a organização do trabalho. O Ministério Público Federal do Espírito Santo ressaltou na solicitação que 11 ônibus foram apedrejados e duas pessoas ficaram feridas durante ataques aos coletivos.

Relembre: Ônibus são apedrejados na Grande Vitória, segundo empresas

No entendimento do MPF-ES, as condutas podem ser categorizadas como crimes previstos no Código Penal.

MULTA AO SINDICATO

Mesmo o Governo do Estado tendo anunciado que pediria a ilegalidade da greve, pelo fato de a frota mínima determinada pela Justiça não ter sido cumprida, o sindicato não pagou multa após o fim da paralisação.

A multa diária seria de R$ 500 mil. No entanto, o acordo que colocou fim à greve também incluiu a anistia do sindicato de pagar qualquer multa referente ao descumprimento das ordens judiciais.

Relembre: Após acordo, greve dos rodoviários da Grande Vitória chega ao fim

Leia também: Rodoviários radicalizam no segundo dia de greve em Vitória

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: