Carros de passageiros são ‘resgatados’ pelo Movimento de Preservação Ferroviária em Rio Claro (SP)

Carros de passageiros resgatados são o SI3272 (Segunda-classe, originalmente primeira-classe) e o RI3354 (Restaurante). Foto: Divulgação

Voluntários levaram os trens para um pátio em Sorocaba, no interior de São Paulo, para preservação

JESSICA MARQUES

Um ato contribuiu para a preservação da história dos transportes neste fim de semana. Dois carros de passageiros foram resgatados pela Sorocabana – Movimento de Preservação Ferroviária em Rio Claro, no interior de São Paulo.

Entre os dias 30 de novembro e 1º de dezembro, os trens foram transportados para Sorocaba pela associação, com o objetivo de preservar o patrimônio representado pelos carros.

Segundo informações do movimento de preservação, os carros de passageiros resgatados são o SI3272 (Segunda-classe, originalmente primeira-classe) e o RI3354 (Restaurante). Ambos compuseram os trens de passageiros que serviram as ferrovias do estado, tanto na bitola estreita (1.00m), quanto na bitola larga (1.60m).

Os carros foram construídos pela The Budd Company em 1951 para o Trem Luxo (São Paulo – Presidente Epitácio) da antiga Estrada de Ferro Sorocabana (EFS). O de Primeira tem capacidade para 60 passageiros, enquanto o restaurante pode transportar 30 pessoas em seu salão.

Os trens pertenceram à Estrada de Ferro Sorocabana e à Fepasa até sua desativação, em meados do final da década de 1990. Segundo informações da Sorocabana, os carros de passageiros permaneceram parados durante aproximadamente 15 anos, ficando suscetíveis à ações de intempéries, vandalismo.

“No ano de 2018, um deles resistiu a um incêndio que acometeu o pátio das antigas oficinas da Companhia Paulista e Fepasa em Rio Claro/ SP”, informou o Movimento de Preservação Ferroviária.

carro de p2

Carros permaneceram parados durante 15 anos, sujeitos a vandalismo. Foto: Divulgação.

A Sorocabana solicitou a cessão dos dois carros de passageiros ao DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), órgão estatal que acolheu todo o patrimônio das antigas estatais RFFSA (consequentemente a Fepasa).

Um deles estava em posse da concessionária Rumo Logística (Antiga América Latina Logística -ALL) e outro que se encontrava no pátio das oficinas de Rio Claro.

“Vale ressaltar que o carro que estava em porte da Rumo, reviveu seus bons tempos e foi transportado por via férrea até o pátio de Rio Claro Novo, onde foi içado para a carreta que o levaria até Sorocaba”, afirmou a associação.

Ao todo, a operação de “resgate” dos carros durou 49 horas entre carregamento, transporte e descarregamento.

“Se somado à preparação dos veículos a serem transportados, as horas trabalhadas superam a marca de 60 horas trabalhadas, trabalho que foi tocado exclusivamente, da parte de preparação e acompanhamento de transporte, por voluntários da Sorocabana”, informou o movimento.

carro de p4

Os trens pertenceram à Estrada de Ferro Sorocabana e à Fepasa até sua desativação. Foto: Divulgação.

Em nota, a associação agradeceu aos parceiros que auxiliaram no processo de resgate dos carros de passageiros.

“A Associação, por meio deste texto, agradece à Rumo Logística pelo apoio na operação de traslado, içamento e retirada em Rio Claro; ao DNIT, pela cessão dos bens e apoio ao projeto; e à Urbes – Trânsito e Transportes pelo suporte prestado no descarregamento em Sorocaba”.

carro de p3

Trabalhos superaram 60 horas para transporte de carros de passageiros. Foto: Divulgação.

HISTÓRIA DA ASSOCIAÇÃO

A associação, constituída em 2014 na cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo, por entusiastas e técnicos em ferrovia, tornou-se OSCIP em 2015 e desde então, passou a trabalhar no projeto “Trem dos Operarários”.

O projeto consiste na implantação de um trem turístico cultural entre Sorocaba e Votorantim, utilizando o leito ferroviário da antiga Estrada de Ferro Elétrica Votorantim, que atendeu aos trens cargueiros e aos bondes de funcionários entre as indústrias da região e à própria Votorantim Cimentos, sendo desativada definitivamente, já sem o serviço de passageiros, no ano de 2012.

“O trem, que já conta com uma locomotiva movida a vapor, do ano de 1891 construída pela Baldwin Locomotive Works, dos Estados Unidos, tem também em seu acervo operacional um carro também construído pela Budd, mas de 2ª Classe, além de outras locomotivas ainda não operacionais, que somado à vagões e outros carros de passageiros, integrarão ao acervo museológico da Associação.”

Segundo a associação, por meio de trabalho voluntário, os trens são restaurados de acordo com a disponibilidade de patrocínios e parcerias, além dos próprios apaixonados pela causa, que doam seu tempo de serviço e horas trabalhadas em prol da memória e preservação ferroviária do Estado de São Paulo e da Estrada de Ferro Sorocabana.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

2 comentários em Carros de passageiros são ‘resgatados’ pelo Movimento de Preservação Ferroviária em Rio Claro (SP)

  1. Sandro R dos Santos // 4 de dezembro de 2018 às 07:26 // Responder

    Otimo trabalho, já que os governantes não veêm com bons olhos este transporte que serviu muito bem no passado, e hoje os ativos de que um dia viajavam por este país estão literalmente abandonados e jogados esquecidos.

    Parabéns pela iniciativa.

  2. ANTONIO CARLOS J. PAIVA // 4 de dezembro de 2018 às 10:29 // Responder

    Maravilhoso trabalho. É gratificante saber que temos uma entidade que preserva a história ferroviária deste país. Patrimônio que tem ficado muito esquecido pelos governantes. Aqui no Rio de Janeiro precisavamos de uma entidade dessa para restaurar o que ainda resta no pátio da antiga LEOPOLDINA na estação Barão de Mauá. Infelizmente está deteriorando todo o acervo.

Deixe uma resposta para Sandro R dos Santos Cancelar resposta