Mortes no trânsito envolvendo motocicletas lideram no estado de São Paulo

Publicado em: 23 de novembro de 2018

Homens são principal vítima do trânsito paulista. Foto: Divulgação / Governo Federal.

Segundo dados do Infosiga, em outubro foram 160 ocorrências

JESSICA MARQUES

Os acidentes de trânsito com morte envolvendo motocicletas lideram no estado de São Paulo. Segundo informações do Infosiga, em outubro deste ano foram 160 ocorrências, comparadas a 163 em 2017.

Vítimas ocupantes de automóveis passaram ao segundo lugar, com 130 casos e um aumento de 2,4%, pois foram 127 casos no ano passado. Na sequência, estão os pedestres, com 102 óbitos e redução de -26,1% (138 ocorrências em 2017), e ciclistas, com 24 ocorrências e aumento de 4,3% (23 em 2017).

O número de mortes no trânsito, em geral, apresentou uma queda de 4,9% no Estado de São Paulo neste ano. Dados do Infosiga contabilizam 4.490 fatalidades nos 645 municípios de janeiro a outubro, comparados a 4.719 no mesmo período de 2017.

Os números do Infosiga SP foram divulgados pelo Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, programa do Governo de São Paulo que visa reduzir o número de fatalidades causadas por acidentes no Estado.

Os dados consolidados de outubro também mostram que houve uma redução de -8,2% nos óbitos (450) na comparação com o mesmo mês do ano passado (490).

“As fatalidades no trânsito estão concentradas nas vias municipais (47%) e nos períodos da noite e madrugada (53%), assim como nos finais de semana. Os dados do Infosiga SP mostram que 4 em cada 10 ocorrências (43%) são registradas entre as noites de sexta-feira e madrugada de segunda-feira”, informou o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, em nota.

HOMENS SÃO VÍTIMAS PRINCIPAIS

Os homens são as principais vítimas do trânsito, representando 80% dos casos. Sendo 57% deles condutores dos veículos. Uma em cada quatro fatalidades são de jovens com idade entre 15 e 29 anos.

Ainda de acordo com as análises do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito para o mês de outubro, em 54% dos casos o falecimento ocorre nos hospitais, e as colisões entre veículos (41%), atropelamentos (24%) e choque contra objetos fixos (17%) lideram as estatísticas.

REGIÕES

Das 16 regiões administrativas do Estado, 11 apresentam redução dos índices. As outras cinco tiveram altas de até 16%.

Registraram reduções as regiões de Barretos (-31%), Campinas (-12%), Itapeva (-6%), Marília (-3%), Metropolitana de São Paulo (-3%), Registro (-3%), Sorocaba (-4%), São José dos Campos (0%, 1 vítima a menos), São José do Rio Preto (-12%), Presidente Prudente (-7%) e Ribeirão Preto (-12%).

Por sua vez, as regiões de Araçatuba (+16%), Baixada Santista (+4%), Bauru (+15%), Central (+13%) e Franca (+6%), tiveram aumento no número de fatalidades neste ano.

SANTO ANDRÉ

Em Santo André, no ABC Paulista, o número de acidentes de trânsito com morte surpreendeu. Há um ano, a Prefeitura removeu os radares móveis do município e, mesmo assim, o índice apresentou queda.

Relembre: Mesmo sem radares móveis, mortes no trânsito caem 13% em Santo André

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta