CPTM abre concorrência para restauração da fachada da Estação da Luz

Incêndio em 2015 destruiu parte da estação – Foto: Daniel Mello – Agência Brasil – Clique para ampliar

Em dezembro de 2015, local foi parcialmente afetado por um incêndio que começou no Museu da Língua Portuguesa

ADAMO BAZANI

A CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos vai abrir nesta segunda-feira, 05 de novembro de 2018, uma concorrência para serviços de restauração da fachada do lado da Rua Mauá, da Estação da Luz, uma das principais da atual rede, que recebe as linhas 7-Rubi (Luz – Francisco Morato-Jundiaí), 11- Coral (Luz – Mogi das Cruzes – Estudantes), serviço Airpot Express da Linha 13-Jade Aeroporto de Guarulhos e o Expresso Turístico. Também faz conexão com as linhas 1-Azul (Jabaquara-Tucuruvi) e 4-Amarela (São Paulo/Morumbi – Luz) do Metrô, além de receber diversas linhas de ônibus nas imediações.

O edital estará disponível na segunda-feira e a previsão da entrega de propostas é para o dia 06 de dezembro de 2018.

No dia 21 de dezembro de 2015, um incêndio destruiu o Museu da Língua Portuguesa, que fica no prédio da estação, e afetou parte da fachada.

No incêndio, o bombeiro civil Ronaldo Pereira da Cruz morreu após sofrer uma parada cardiorrespiratória.

A estação ficou totalmente fechada por dez dias. Em 31 de dezembro de 2015, o acesso dos passageiros era possível apenas pela avenida Cásper Líbero e pela calçada da Pinacoteca, na Praça da Luz.

Após um processo de reforma e restauro, a entrada principal pela Rua Mauá foi aberta apenas um ano e meio depois, em 25 de julho de 2016.

Os reparos principais já foram feitos naquela ocasião e a licitação cujo edital será publicado na segunda-feira, envolve restauro e conservação.

A estação também deve receber adequações de acessibilidade, em outro procedimento, além da licitação.

O prédio da estação é patrimônio preservado e qualquer alteração precisa de um aval do CONDEPHAAT – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo, vinculado à Secretaria de Cultura.

A autorização foi publicada nesta sexta-feira, 02 de novembro de 2018, mas é necessária também a manifestação de outros órgãos.

A Estação da Luz é considerada um dos símbolos da prosperidade do Estado de São Paulo e do processo de urbanização da capital paulista.

Pátio da estação da Luz nos anos 1860/70. À direita, a atual rua Mauá. À esquerda, o Jardim da Luz

O primeiro prédio da Estação da Luz foi inaugurado em 16 de fevereiro de 1867 e era bem mais modesto, localizado não exatamente no ponto atual, mas nas proximidades da atual avenida Prestes Maia.

Pouco tempo depois, outra edificação foi construída na região hoje correspondente ao trecho entre rua Florêncio de Abreu e avenida Cásper Libero.

A segunda estação da Luz. Atrás, prédio na atual rua Mauá (Foto de cerca de 1890, autor desconhecido)

Mas a demanda de passageiros e cargas não parava de crescer. A linha de trem foi considerada um dos principais indutores do desenvolvimento urbano de São Paulo. A prosperidade vinha até então do café. A linha foi criada para o escoamento da produção ao Porto de Santos.

Assim, a linha Santos – Jundiaí era para servir a agricultura, mas acabou sendo essencial para a urbanização.

O atual prédio foi inaugurado em 1º de março de 1901, pela São Paulo Railway – SP, empresa de capital inglês que construiu a ligação em 1867. Este trajeto corresponde às linhas 7 – Rubi (Luz – Francisco Morato-Jundiaí) e 10-Turquesa (Brás-Rio Grande da Serra). O trecho entre Paranapiacaba (no ABC Paulista) e Santos deixou de receber completamente composições de passageiros entre 1996 e 1997, mas o movimento nesta época já era bem reduzido.

A estação já havia sofrido um incêndio. Em 6 de novembro de 1946, a dois dias do fim da concessão da São Paulo Railway – SP, as chamas destruíram grande parte da estação e documentos sobre esta concessão. Na época já se cogitou em incêndio proposital que teria sido provocado pelos ingleses.

Jornais noticiam incêndio em 1946 – Foto: Reprodução/Arquivo Público do Estado) – G1

O prédio foi reaberto apenas em 1951, com um andar a mais.

Em 2004, na ocasião dos 450 anos da cidade de São Paulo, foi concluído o restauro da Estação da Luz, com todas as características originais.

O Museu da Língua Portuguesa, no prédio da estação, foi inaugurado oficialmente no dia 20 de março de 2006, mas abriu as portas ao público somente no dia 21 de março do mesmo ano.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: