Prolongamento de linhas, recursos e tecnologia serão alternativas para evitar o fim dos trólebus de Valparaíso, no Chile

Serviços devem ser mantidos com mais recursos financeiros – Foto: Divulgação

Governo chileno deve anunciar pacote de medidas nesta semana. Operador ameaça a recolher os tradicionais veículos em 31 de dezembro

ADAMO BAZANI

O governo chileno deve anunciar ainda nesta semana uma série de medidas para impedir o fim dos serviços de trólebus de Valparaíso, uma das marcas da cidade.

Como noticiou o Diário do Transporte, com base na imprensa local, a empresa Trolebuses de Chile S.A. anunciou que pode abandonar os serviços por problemas financeiros. Segundo a companhia, o governo nacional não realizou nos últimos sete anos os repasses que teriam sido prometidos. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/10/12/valparaiso-no-chile-pode-aposentar-sistema-de-trolebus-em-31-dezembro/

Mas ainda há esperança para a manutenção dos tradicionais serviços.

A prefeitura de Valaparaíso juntamente com o governo nacional vão adotar ações conjuntas para evitar a extinção dos trólebus.

Uma delas deve ser, por meio de injeção de recursos públicos, a modernização tecnológica do sistema, com a previsão de novos veículos, estações subalimentadoras e equipamentos de manutenção.

O governo também deve anunciar o prolongamento das rotas até a Avenida Pedro Montt, para elevar o número de passageiros e a arrecadação do sistema.

Os descontos para passageiros idosos devem ser mantidos, mas com subsídios.

A injeção de recursos deve começar em janeiro de 2019.

O projeto ainda deve passar pelo legislativo, mas o governo acredita que será aprovado.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rodrigo Zika! disse:

    Se a foto for recente, ele ainda têm modelos bem antigos e clássicos, o que não se vê mais em SP, tomara que preservem, e não cometam os erros que foi cometido aqui, pela maldita Marta.

  2. Pedro disse:

    Pela foto no fundo tem um trolebus que dever ter mais de 50 anos. ai não da pra manter.

Deixe uma resposta