Trabalhadores do transporte coletivo de Uberaba entram em estado de greve

Justiça do Trabalho exigiu frota mínima de 60% em horário de pico, caso haja greve. Foto: Neto Talmeli/Prefeitura de Uberaba

Audiência de conciliação define se haverá ou não paralisação

JESSICA MARQUES

Os trabalhadores do transporte coletivo de Uberaba, em Minas Gerais, entraram em estado de greve nesta terça-feira, 9 de outubro de 2018. Uma audiência de conciliação marcada para 15h vai definir se haverá ou não paralisação.

A categoria informou que há mais de 15% de defasagem salarial em comparação com as tarifas aplicadas. Se não houver acordo na Justiça do Trabalho na tarde desta terça-feira, o Sintracol (Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Uberaba) promete realizar uma greve por tempo indeterminado.

Segundo informações do Jornal da Manhã, os motoristas rejeitaram na última semana a contraproposta salarial das empresas de transporte coletivo e já haviam aprovado a greve por tempo indeterminado.

Na ocasião, as concessionárias propuseram um reajuste salarial de 3,61% e um aumento de 3% no tíquete alimentação. Contudo, a categoria reivindica que haja correção de 5% nos salários e 15% no vale-alimentação.

Entre as reivindicações também está a redução de uma hora na jornada de trabalho e outros itens que já foram apresentados ao sindicato patronal e não foram considerados na primeira contraproposta.

A Justiça do Trabalho já estabeleceu critérios para uma possível greve, em liminar judicial. No despacho, consta que deve ficar em operação pelo menos 60% da frota das 5h às 8h30 e das 17h às 19h, de segunda a sexta-feira.

Nos demais horários, o critério exigido pela Justiça foi uma operação de 50% da frota de ônibus, no mínimo. A liminar foi publicada com o objetivo de garantir atendimento à população, que não deve ser prejudicada.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: