Com dez anos de atraso, Metrô promete inaugurar estação SP-Morumbi em outubro

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, inaugura estação Oscar Freire do metro. Local: São Paulo/ SP Data: 04/04/2018 Foto: Governo do Estado de São Paulo

Última previsão divulgada foi para setembro deste ano, mas obras ainda não estão prontas

JESSICA MARQUES

O Metrô de São Paulo prometeu inaugurar a estação São Paulo-Morumbi da Linha 4-Amarela em outubro deste ano. A última previsão divulgada havia sido para o mês passado, mas as obras ainda não estão concluídas.

Se entregue neste mês, a estação será inaugurada com dez anos de atraso. A nova promessa do Metrô já havia sido sinalizada em setembro pelo secretário de Transportes Metropolitanos do estado, Clodoaldo Pelissioni, em entrevista coletiva.

Desde o início de setembro, foram realizadas diversas interdições pela gestão Márcio França em toda a linha para a realização de obras da futura estação SP-Morumbi, que está sob a responsabilidade do Governo do Estado.

Relembre:

Linha 4 Amarela terá trecho interrompido e ônibus vão operar no lugar neste domingo (09)

Estações da Linha 4-Amarela do metrô de São Paulo ficam fechadas no domingo

Nos dois casos noticiados pelo Diário do Transporte, a operação foi interrompida totalmente para a realização de testes nos trens. No caso da Linha 4-Amarela, as composições não possuem maquinistas e funcionam por meio de controladores à distância.

O Metrô informou à Folha de S.Paulo nesta terça-feira, 9 de outubro de 2018, que a estação SP-Morumbi está com 95% das obras concluídas. Entretanto, não foi divulgada uma data oficial para a inauguração.

Conforme noticiado pelo Diário do Transporte, a inauguração mais recente na Linha 4-Amarela foi em 04 de abril de 2018, com a entrega da Estação Oscar Freire de forma incompleta: apenas uma das duas entradas previstas no projeto está funcionando.

Na ocasião, o secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, prometeu a conclusão da estação São Paulo-Morumbi para o segundo semestre de 2018 e, da Vila Sônia, para dezembro de 2019.

A estação SP-Morumbi deveria ter sido entregue em 2008. O prazo foi prorrogado para 2012 e, em seguida, 2014.

Como as entregas não ocorreram, um aditivo contratual assinado em março de 2014, prevê que a Via Quatro comece a cobrar a partir do quarto mês após a data-limite da inauguração das estações.

Relembre: A partir de julho, Via Quatro poderá cobrar R$ 2,3 milhões por mês do Governo do Estado por atrasos nas obras da Linha 4-Amarela

CRONOLOGIA SEGUNDO TRECHO DA LINHA 4 AMARELA DO METRÔ:

– Novembro de 2012: Assinatura de contrato por R$ 1,8 bilhão com o Consórcio Isulox Corsán-Corviam e o Metrô para construção das estações Higienópolis-Mackenzie, Oscar Freire, São Paulo-Morumbi e Vila Sônia, o terminal de ônibus na Vila Sônia, o pátio para trens também na Vila Sônia um túnel de dois quilômetros para fazer uma ligação para este pátio

– Julho de 2015: Rompimento de contrato entre Metrô e Consórcio Isulox Corsán-Corviam por atraso nas obras. Metrô e Consórcio trocam acusações.

– Novembro de 2015: Metrô abre nova licitação para este trecho.

– 17 de março de 2016: TCE – Tribunal de Contas do Estado de São Paulo suspende licitação para analisar questionamentos de construtora interessada sobre edital.

– 30 de março de 2016: TCE julga improcedentes os questionamentos e autoriza o andamento da licitação.

– 06 de abril de 2016: Metrô recebe propostas.

– 07 de junho de 2016: Metrô declarada como vencedor o Consórcio TC-Linha 4 Amarela, formado pelas empresas TIISA – Infraestrutura e Investimentos S/A e COMSA S/A. A proposta foi de R$ 858.743.546,73

– 12 de agosto de 2016. As obras da segunda etapa da Linha 4 Amarela são retomas pelo consórcio vencedor. Na ocasião, o governo do Estado prometia as estações Higienópolis-Mackenzie e Oscar Freire para o final de 2017.

– 23 de janeiro de 2018: Abertura da estação Higienópolis-Mackenzie.

– 04 de abril de 2018: Inauguração da estação Oscar-Freire de forma incompleta. Só foi aberto o acesso no lado ímpar da Avenida Rebouças. O secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, na ocasião, disse que havia diferença de solo entre um lado e outro da avenida. “Ao escavar, verificamos um solo mais mole do que o esperado quando fizemos o projeto. Estamos tendo que escavar com mais cuidado. O fundamental é garantir a segurança, não só do usuário, mas do entorno da estação, então vamos trabalhar devagar, mas permanente para que no segundo semestre possamos entregar o segundo acesso. Agora, as pessoas vão ter que fazer a ultrapassagem da Avenida Rebouças para poder pegar o metrô no acesso principal” — disse Pelissioni.

– 28 de abril de 2018: Governo do Estado de São Paulo, em anexo sobre riscos fiscais do Orçamento para 2019, admite a possibilidade de a Via Quatro Amarela cobrar, a partir de julho de 2018, ao menos R$ 2,335 milhões por mês por causa de atrasos na entrega das estações da segunda fase da linha, que comprometeram a demanda prevista. De acordo com o último aditivo com a empresa, todas as estações deveriam ter sido concluídas em março de 2018. Também há pendências em relação aos atrasos da fase I, em especial, após a tragédia do desabamento das obras da estação Pinheiros, em 12 de janeiro de 2007, quando uma cratera se abriu na Rua Capri tragando caminhões, máquinas e até um micro-ônibus que passava pelo local. Sete pessoas morreram e depois de mais de dez anos do acidente, ninguém havia ainda sido condenado.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

2 comentários em Com dez anos de atraso, Metrô promete inaugurar estação SP-Morumbi em outubro

  1. Que absurdo, 10 anos, recorde mundial de incompetência, o interior que sempre reelegeu o narigudo, vamos ver e com cara nova, isso melhora.

  2. Aí depois o Geraldo Chuchu, não sabe porque não chegou a 2 dígitos na eleição presidencial.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: