Hyperloop finaliza primeira cápsula de passageiros em escala real

Quintero One estará pronta e otimizada para o uso de passageiros em 2019, segundo a empresa

JESSICA MARQUES

A Hyperloop Transportation Technologies anunciou nesta terça-feira, 2 de outubro de 2018, a finalização da construção da primeira cápsula de passageiros em escala real. O equipamento chamado de Quintero One foi produzido na Espanha e é feito em sua maioria de Vibranium, um composto inteligente de camada dupla desenvolvido pela empresa.

A HyperloopTT informou que a cápsula Quintero One estará pronta e otimizada para o uso de passageiros em 2019.

A cápsula foi exibida em Puerto de Santa Maria, na Espanha, em evento que também celebrou os cinco anos da Hyperloop. A construção do equipamento ficou a cargo da companhia Airtificial, enquanto o design foi concebido pela consultoria especializada em design de transportes PrestmanGoode.

Para chegar à primeira cápsula de passageiros em escala real, a Quintero One demandou 21 mil horas de engenharia especializada e 5 mil horas de montagem especializada.

A maquina possui 32 metros de comprimento, 15 metros de comprimento interno da cabine, 5.000 kg, 72 sensores, 75 mil rebites e 7,2 mil metros quadrados de fibra.

Segundo informações da empresa, o próximo passo, agora, é levar a cápsula até a cidade de Toulouse, na França, onde fica o centro de pesquisa e desenvolvimento da Hyperloop. No local, a máquina será montada e integrada ao sistema antes de ser utilizada em uma das primeiras faixas comerciais da empresa no mundo.

“A criação desta cápsula representa uma jornada de mais de um ano de experiência em design, engenharia e desenvolvimento de materiais de ponta”, disse o cofundador e CEO da HyperloopTT, Dirk Ahlborn.

“Em apenas cinco anos, resolvemos e aprimoramos toda a tecnologia necessária para o Hyperloop com nosso novo sistema de levitação, bombas de vácuo, baterias e compósitos inteligentes. Esta cápsula será parte de um dos sistemas de transporte mais eficientes já feitos”, finalizou.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta