Pouso Alegre (MG) marca sessão pública para concluir concorrência do transporte municipal

Princesa do Sul é a atual concessionária do transporte urbano de Pouso Alegre (MG)

Se não houver recurso administrativo prefeitura abrirá envelope de proposta de preços e decidirá resultado do certame

ALEXANDRE PELEGI

A Lotus, que resultou da incorporação da atual concessionária Princesa do Sul ao Expresso Gardenia, desistiu da licitação para o transporte público de Pouso Alegre, em Minas Gerais. Com isso, apenas a empresa Expresso Planalto, que pertence ao grupo CSC, está participando do certame. A abertura das propostas foi no dia 29 de agosto de 2018, quando a Lotus comunicou sua desistência.

Nesta quarta-feira, dia 26 de setembro de 2018, a prefeitura da cidade mineira publicou em Diário Oficial a data de Sessão Pública em que será anunciado o resultado da proposta técnica entregue pela Expresso Planalto no dia 29 de agosto.

pouso_concor

A Sessão ficou marcada para o dia 28 de setembro, próxima sexta-feira, às 9h:00.

Na ausência de recurso administrativo, a proposta de preço será apresentada e julgada.

TRANSPORTE EM POUSO ALEGRE

O sistema de ônibus de Pouso Alegre transporta 564 mil passageiros/mês. O edital de concessão estima uma demanda total mensal de 647 mil, dos quais 469 mil pagantes.

A Prefeitura de Pouso Alegre publicou o novo Edital de Concorrência Pública no dia 9 de julho de 2018. Em nota a prefeitura esclareceu:

“O processo de licitação já havia sido publicado anteriormente, porém, foi suspenso para adequações. Dentre as alterações, as empresas participantes do processo deverão, obrigatoriamente, ter frota total de 41 ônibus, 13 mini ônibus e 02 micro-ônibus, todos zero quilometro, equipados com GPS, WI-FI e lixeira interna e aplicativo de celular”.

Para aumentar a competitividade entre as empresas licitantes, o capital mínimo exigido da empresa será de 1% do valor estimado da contratação, de acordo com o edital.

Além disso, o documento estabelece como critério que a manutenção dos abrigos nos pontos de ônibus passa a ser de responsabilidade da empresa concessionária. Outra exigência é que a frota deve ser adaptada para atender ao passageiro com dificuldade de locomoção e a empresa precisa disponibilizar o serviço de atendimento via 0800 em até 180 dias.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta