Atlas da Acidentalidade 2018 apresenta trechos com mais riscos de acidentes envolvendo ônibus em rodovias federais

Falta de atenção é principal causa de acidentes. Foto: Polícia Rodoviária Federal

Pior local foi no Espírito Santo, do km 339 ao 348 da BR-101, onde foram registrados cinco casos envolvendo 63 pessoas

JESSICA MARQUES

Um novo indicador trouxe, nesta terça-feira, 25 de setembro de 2018, informações para reforçar a importância da direção segura nas estradas.

O Atlas da Acidentalidade no Transporte, editado pelo Programa Volvo de Segurança no Trânsito (PVST) em parceria com a Polícia Rodoviária Federal e TecnoMetrica, apresentou os trechos com mais riscos de acidentes envolvendo ônibus em rodovias federais do país.

Segundo o levantamento, o pior local foi no Espírito Santo, do km 339 ao 348 da BR-101, onde foram registrados cinco casos envolvendo 63 pessoas, com 21 óbitos e 30 feridos, sendo 18 leves e 12 graves.

“O acidente mais grave envolveu um ônibus, um caminhão e duas ambulâncias e resultou no maior número de feridos, 26”, informou um trecho do levantamento.

O Atlas da Acidentalidade considera ocorrências do ano passado. Em 2017 foram registrados 3.097 acidentes envolvendo ônibus nas rodovias federais, que resultou em 408 mortes, uma queda de 7,31% na comparação com o ano anterior.

Do total de acidentes envolvendo todos os tipos de veículos, 3,46% tiveram o envolvimento de ônibus. Ao todo, foram 89.396 ocorrências gerais e 3.097 envolvendo os veículos de transporte coletivo.

Confira os trechos mais críticos para acidentes de ônibus em rodovias federais, segundo o Atlas:

onibus aci.jpg

CAUSA DOS ACIDENTES

Segundo informações do Atlas, a principal causa do maior número de acidentes com envolvimento de ônibus nas rodovias federais em todos os estados em 2017 foi a falta de atenção, totalizando 1.424.

“A causa com maior índice médio de gravidade (9,2) é a ultrapassagem indevida, que responde por 67 acidentes e 21 mortes, seguido de dormindo (8,2); defeito na via e velocidade incompatível ( 7,1); desobediência à sinalização (6,1) e ingestão de álcool (5,7)”, diz trecho do estudo.

Confira os detalhes dos acidentes envolvendo ônibus nas rodovias federais:

Em 2017, os acidentes envolvendo ônibus ocorreram com maior frequência entre às 17h e 18h (14,46% dos acidentes). Porém, o pico do horário com os acidentes mais graves, que ocasionaram maior número de mortes foi às 2h, com a média de 390 mortes por mil acidentes, conforme consta no Atlas.

Todas as informações estão disponibilizadas gratuitamente no Portal www.atlasacidentesnotransporte.com.br

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta