Obras do BRT Ouro Verde interditam região do Campos Elíseos, em Campinas

Sistema BRT de Campinas terá três corredores de ônibus. Foto: Divulgação / Emdec

Nova etapa será iniciada a partir de terça-feira, fechando 640 metros da Avenida das Amoreiras

JESSICA MARQUES

As obras do BRT (Bus Rapid Transit – Ônibus de Trânsito Rápido) Ouro Verde, em Campinas, no interior de São Paulo, vão causar interdições na região do Campos Elísios.

A nova etapa será iniciada a partir desta terça-feira, 25 de setembro de 2018. Com isso, a Avenida das Amoreiras terá uma interdição de 640 metros da Avenida das Amoreiras, a partir da Rua Bragança Paulista até a Avenida Senador Antônio Lacerda Franco, entre as regiões do Campos Elíseos e Jardim do Lago.

No trecho, será construído um novo pavimento para a circulação do BRT. A região também vai passar por obras de drenagem. A previsão de duração das obras é de quatro meses.

Conforme informado pela Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas), o trecho da Avenida Amoreiras terá uma faixa por sentido. Haverá bloqueios nas faixas exclusivas para ônibus e em uma faixa do trânsito de veículos em cada sentido.

A Emdec vai reduzir a velocidade máxima permitida no trecho em obras para 40 km/h. Além disso, os semáforos terão o tempo ajustado nos cruzamentos da Amoreiras com as avenidas Ana Beatriz Bierrembach e Senador Antônio Lacerda Franco.

HISTÓRICO SOBRE O BRT DE CAMPINAS

Conforme publicado pelo Diário do Transporte, o sistema BRT de Campinas terá três corredores de ônibus. O custo total é de R$ 451,5 milhões, e cobre a elaboração dos projetos executivos e a realização das obras. Os trabalhos começaram em maio de 2017.

Do total do custo da implantação, R$ 92 milhões são do Orçamento Geral da União (OGU) e R$ 197 milhões financiados pela Caixa Econômica Federal. A contraparte do município será de R$ 162,5 milhões.

Corredor Campo Grande: 17,8 quilômetros de extensão. Da região central, passará pelo leito desativado do antigo VLT, seguirá pela Avenida John Boyd Dunlop até o terminal Itajaí.

Corredor Ouro Verde: 14,5 quilômetros. Da região central, seguirá pelas avenidas João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, Camucim até o Terminal Vida Nova.

Corredor Perimetral: 4 quilômetros entre a Vila Aurocan e o Jardim Campos Elísios

A elaboração dos projetos executivos e realização das obras dos três corredores BRT foram divididas em quatro lotes. Segundo a Prefeitura, o projeto irá beneficiar 450 mil pessoas que moram nos distritos do Campo Grande e Ouro Verde.

De acordo com a administração municipal, o sistema terá estações de transferência, veículos articulados ou biarticulados, corredores exclusivos com espaços para ultrapassagens, embarque e desembarque pela esquerda, embarque em nível e pagamento desembarcado.

No Ouro Verde serão 14,6 km de extensão, saindo da região central, seguindo pela João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, Camucim até o Terminal Vida Nova.

No Campo Grande serão 17,9 km de extensão, também saindo da região central, seguindo pelo leito desativado do antigo VLT, John Boyd Dunlop e chegando ao Terminal Itajaí. Serão construídas 12 obras entre pontes e viadutos.

Entre os dois corredores haverá um corredor perimetral com 4,1 km de extensão, ligando a Vila Aurocan até o Campos Elíseos, seguindo pelo leito desativado do VLT.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta