Ruas do centro de São Paulo ficam fechadas para automóveis e motos no Dia Mundial Sem Carro

Ação tem como objetivo incentivar uso do transporte público. Foto: Adamo Bazani

Somente ônibus, táxis, veículos escolares, bicicletas, carros que possuem cartões do idoso e de pessoas com deficiência podem circular pela região

JESSICA MARQUES

As ruas do Centro Histórico de São Paulo estarão fechadas para os automóveis e motos neste sábado, 22 de setembro de 2018, Dia Mundial Sem Carro.

Na ocasião, somente ônibus, táxis, veículos escolares, bicicletas, carros que possuem cartões do idoso e de pessoas com deficiência podem circular pela região.

Segundo informações da Prefeitura de São Paulo, a restrição se aplica às seguintes vias: Rua Boa Vista, Ladeira Porto Geral, Largo de São Bento, Rua Líbero Badaró, Viaduto do Chá e num trecho da Rua Florêncio de Abreu (entre a Ladeira da Constituição e a Rua Boa Vista).

“A ação não altera a circulação de linhas de ônibus, uma vez que o tráfego desse tipo de veículo e de táxis nas vias bloqueadas é permitido”, esclareceu a Prefeitura, em nota.

Bloqueios:

– Praça da Sé com Rua Venceslau Brás;
– Praça da Sé com Rua Floriano Peixoto;
– Rua Coronel Xavier de Toledo com Viaduto do Chá;
– Rua Florêncio de Abreu com Ladeira da Constituição.

Alternativas:

– Sentido Praça da Sé / Praça Ramos de Azevedo: Rua Senador Feijó, Rua Cristóvão Colombo, Rua Riachuelo, Túnel Papa João Paulo II, Avenida Prestes Maia, Avenida Senador Queirós, Avenida Ipiranga, Avenida São Luís, Rua Coronel Xavier de Toledo e Praça Ramos de Azevedo.

– Sentido Praça Ramos de Azevedo / Praça da Sé: Rua Conselheiro Crispiniano, Avenida São João, Avenida Ipiranga, Avenida São Luís, Viaduto Nove de Julho, Viaduto Jacareí, Rua Maria Paula, Viaduto Dona Paulina, Praça Dr. João Mendes, Rua Anita Garibaldi, Rua Roberto Simonsen, Rua Venceslau Brás e Praça da Sé.

Segundo a Prefeitura, a Engenharia de Campo da CET (Comoanhia de Engenharia de Tráfego) vai monitorar os bloqueios e orientar o tráfego na região, visando manter as condições de segurança e fluidez no trânsito.

Confira abaixo as informações sobre a oferta de ônibus na região:

Rua Boa Vista – 8 linhas

2002/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Term. Bandeira

408A/10 – Machado de Assis – Cardoso de Almeida

4113/10 – Gentil de Moura – Pça. da República

508L/10 – Term. Princ. Isabel – Aclimação

8615/10 – Pq. da Lapa – Term. Pq. D. Pedro II

908T/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Butantã

930P/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Term. Pinheiros

CT01/1 – Circular Turismo

 

Rua Líbero Badaró – 10 linhas

2002/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Term. Bandeira

408A/10 – Machado de Assis – Cardoso de Almeida

4113/10 – Gentil de Moura – Pça. da República

508L/10 – Term. Princ. Isabel – Aclimação

702C/10 – Jd. Bonfiglioli – Metrô Belém

702U/10 – Cid. Universitária – Term. Pq. D. Pedro II

8615/10 – Pq. da Lapa – Term. Pq. D. Pedro II

908T/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Butantã

930P/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Term. Pinheiros

CT01/1 – Circular Turismo

 

Viaduto do Chá – 10 linhas

2002/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Term. Bandeira

408A/10 – Machado de Assis – Cardoso de Almeida

4113/10 – Gentil de Moura – Pça. da República

508L/10 – Term. Princ. Isabel – Aclimação

702C/10 – Jd. Bonfiglioli – Metrô Belém

702U/10 – Cid. Universitária – Term. Pq. D. Pedro II

8615/10 – Pq. da Lapa – Term. Pq. D. Pedro II

908T/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Butantã

930P/10 – Term. Pq. D. Pedro II – Term. Pinheiros

CT01/1 – Circular Turismo

SEXTA SEM CARRO

Há um ano, o Dia Mundial Sem Carro deu origem à Sexta Sem Carro, que é realizada toda a última sexta-feira do mês. Durante a ação, algumas ruas do centro são fechadas para os automóveis, para incentivar o debate sobre o uso do veículo na cidade e estimular o uso do transporte coletivo e as pequenas viagens a pé ou de bicicleta.

“A região central foi escolhida por possuir uma vasta opção de transporte público, como estações de Metrô e diferentes linhas de ônibus”, informou a Prefeitura, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta