BYD apresenta no IAA, na Alemanha, ônibus elétrico articulado com carregamento pantográfico

Modelos compartilham peças e têm sistema de monitoramento das condições do veículo em tempo real ‘durante as operações. Foto: Divulgação BYD – Clique para ampliar

Outra novidade é ônibus elétrico modular. Empresa sueca anuncia a compra de 26 veículos

ADAMO BAZANI

Num dos maiores eventos mundiais de veículos comerciais, IAA 2018, que ocorre em Hannover, na Alemanha até 27 de setembro, a chinesa BYD apresenta duas novidades em sua linha de ônibus elétricos.

Uma delas é um ônibus 100% elétrico articulado, de 18 metros, com carregamento pantógrafo, em estações dentro da garagem ou de recarga rápido no meio do trajeto.

A tecnologia permite, segundo a fabricante, maior facilidade de recarga das baterias e, com isso, na prática, maior autonomia nas operações.

Outra novidade é um ônibus de 12 metros com novo conceito modular, que torna o processo de produção mais eficiente.

Além de a fabricação ser mais rápida, o conceito modular permite o uso de menos componentes. Outra vantagem, segundo a BYD, é que o emprego de novos materiais resulta num ônibus mais leve, o que reflete no consumo e desempenho.

Em nota, a BYD explica que tanto o ônibus de 18 metros com o de conceito modular de 12 metros compartilham peças e apresentam um sistema pelo qual a viação pode acompanhar da garagem as condições do veículo em tempo real de operação.

Tanto o ônibus de 12 metros quanto o de 18 metros compartilham o novo design frontal e são equipados com novos recursos, incluindo a bateria BYD de fosfato de ferro de alta densidade de potência, juntamente com o sistema de gerenciamento térmico de bateria. Além disso, os ônibus possuem um sistema inteligente de monitoramento e diagnóstico, permitindo que os clientes controlem remotamente os sistemas de barramento e diagnostiquem os problemas.

O ônibus de 12 metros é produzido em Komarom, na Hungria, planta que opera desde abril de 2017. Da unidade fabril já saíram ônibus para as empresa holandesas Connexxion e Syntus e para a sueca Nobina. Recentemente, a fábrica iniciou a produção de 30 ônibus para o aeroporto de Bruxelas, na Bélgica.

Já o ônibus articulado de 18 metros é montado na segunda fábrica de ônibus da BYD na Europa, localizada em Beauvais, na França, que começou as operações destinadas à montagem de ônibus produzidos na Hungria para testes no mercado francês.

NÚMEROS E NEGÓCIOS:

Durante o IAA, a BYD anunciou a venda de 26 ônibus elétricos para a empresa sueca Nobina, sendo 11 unidades de 12metros, 10 unidades de 18 metros e cinco micro-ônibus de 8,7 metros, servindo rotas no sudoeste da Suécia.

Segundo a BYD, com estas novas vendas, já são mais de 100 encomendas em 2018 na Escandinávia.

O diretor da BYD na Europa, Isbrand Ho, disse que a empresa se consolidou no setor de ônibus elétricos.

“Há muitos novos ônibus elétricos em exibição no IAA 2018, mas a BYD, como o mais experiente e maior fornecedor de ônibus elétricos, pode adotar uma abordagem mais madura. Estamos anunciando importantes melhorias no produto e oferecendo benefícios reais aos operadores.”

A BYD começou a atuar na Europa em 2010 e diz que no Continente, desde então, vendeu 600 ônibus elétricos, o que representa 20% do mercado local deste tipo de veículo.

Em todo o mundo, a marca anuncia que já entregou desde o início de sua atuação, em 1995, 35 mil ônibus elétricos.

A empresa está presente em cinco continentes, mais de 50 países e em cerca de 200 cidades e têm entre seus sócios o americano Warren Buffet. São mais de 220 mil funcionários distribuídos em 40 fábricas, dos quais, 20 mil engenheiros pesquisadores.

No Brasil, a fábrica está instalada desde 2015, na cidade de Campinas, interior Paulista, onde atuam a00 funcionários.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Claudio disse:

    Carregamento pantografico???? Que querem dizer com isso?

  2. Alexandre disse:

    Pantógrafos são os famosos “chifres” dos ônibus elétricos que se conectam a rede bifilar aérea….

  3. edgardo disse:

    Quem é o designer da BYD??? A cada novo modelo …uma coisa ainda mais feia…..kkkkkk

  4. Daniel Duarte disse:

    Edgardo, pior que são feios mesmo. Ainda bem que tem tecnologia.

Deixe uma resposta