Distrito Federal pode ter greve em ônibus e metrô

Sindmetro reivindica a nomeação de 301 pessoas que foram aprovadas no último concurso da empresa. Foto: Divulgação.

Em assembleia, rodoviários e metroviários decidiram cruzar os braços na próxima segunda-feira, 24 de setembro

JESSICA MARQUES

O Distrito Federal pode ter greve nos ônibus e no metrô na próxima semana. Em assembleia, os rodoviários e metroviários decidiram cruzar os braços na segunda-feira, 24 de setembro de 2018.

O Sindmetro (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Metroviários do Distrito Federal) reivindica a nomeação de 301 pessoas que foram aprovadas no último concurso da empresa.

De acordo com os trabalhadores, o Metrô-DF informou que vai nomear apenas 16 candidatos aprovados.

Outra reivindicação é que haja uma mudança na jornada de trabalho nas estações e o cumprimento do ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) que já foi estabelecido.

Os rodoviários, por sua vez, querem 7% de reajuste e as empresas ofereceram apenas 2,71%. A categoria também é contra a jornada intermitente e terceirização no setor de manutenção.

A categoria informou ainda que há a possibilidade de paralisações-relâmpago durante esta semana, dependendo do que for conversado com as cinco empresas do setor ao longo dos dias.

O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Jorge Farias, informou ao portal Metrópoles que a intenção é esperar o convite dos empresários para negociação e organizar atos nos terminais.

A assessoria de imprensa da Transit-DF (Transportes Integrados do Distrito Federal), que reúne a Urbi e a Piracicabana, informou que as empresas não querem conflito e trabalham para que as negociações com os rodoviários continuem, para haver acordo.

As empresas entraram com uma ação de tutela cautelar. Segundo a decisão da desembargadora Maria Regina Machado Guimarães, da Justiça do Trabalho, no caso de paralisação, devem ser “trabalhadores ativos no serviço, de molde a garantir a circulação de 80% por linha de cada empresa, nos horários de pico”. A multa prevista é de R$ 100 mil por dia em caso de descumprimento.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta