Uberaba intensifica fiscalização de serviço de transporte de passageiros

Em caso de transporte por aplicativo, orientação é nunca solicitar viagem direto com o motorista, para evitar fraudes. Foto: Divulgação.

Prefeitura pretende combater clandestinidade

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Uberaba, em Minas Gerais, informou que intensificou a fiscalização do serviço de transporte de passageiros na cidade. O principal objetivo é combater a clandestinidade nesse tipo de operação.

A ação está sendo realizada pela Sedest (Secretaria Municipal de Defesa Social, Trânsito e Transporte) de Uberaba. Segundo a pasta, estão sendo fiscalizados mototaxistas, taxistas e motoristas de transporte escolar.

A principal exigência para os grupos é a autorização que comprova a regularidade do serviço junto ao Município e aos demais órgãos de fiscalização. O documento deve ser apresentado no ato da abordagem.

Segundo a Sedest, tanto os permissionários quanto os condutores auxiliares passam por um rigoroso processo de cadastramento. Neste momento, é feita a entrega de documentação específica.

Os motoristas devem ter certificado de curso para transporte de passageiros, devem comprovar idoneidade enquanto cidadãos e apresentar uma certidão de antecedentes criminais, assim como uma inspeção veicular que comprova que os itens de segurança e itens mecânicos estão em ordem.

COMO IDENTIFICAR

Para identificar se o transporte de passageiros é regulamentado ou não, é preciso observar a cor da placa do veículo, que deve ser vermelha.

No caso de mototaxistas, o capacete deve ser amarelo e o condutor ainda precisa estar identificado por meio de um colete.

Em ambos os casos, é preciso estar com uma carteira de autorização que comprova a regularidade junto aos órgãos competentes.

No caso do transporte por aplicativo, a única maneira de garantir a idoneidade do serviço é utilizar apenas a ferramenta para solicitar um carro. Evitando, desta forma, fazer contato direto com os motoristas para pedir uma viagem.

Por fim, o veículo de transporte escolar deve ter placa vermelha e a faixa amarela com a inscrição “escolar”, além dos selos de credenciamento. Neste caso,o condutor precisa estar com um crachá expedido pela Prefeitura.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: